iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

18/11 - 01:08, atualizada às 11:12 18/11

Dunga minimiza chances de demissão: "eu ficaria surpreso"

Técnico insinuou ainda que notícias sobre sua saídas são "plantadas", além de qualificar seu trabalho como "bem feito"

Gazeta Esportiva

BRASÍLIA - Depois do rápido tumulto na saída do aeroporto pelo qual passaram os jogadores Kleber, Miranda e Alex, o técnico Dunga driblou o grande número de fãs que aguardavam sua chegada e seguiu direto para o Hotel. Longe da muvuca, o treinador garantiu que não teme a demissão. Na verdade, ficaria muito surpreso caso fosse mandado embora.

“Surpreso eu ficaria sim. Somos segundo nas Eliminatórias e estamos dando seqüência a um trabalho bem feito. Mas a gente sabe de onde vem essas notícias e quem planta”, disparou Dunga, em entrevista à Rede Globo, irritado.

Sua situação como comandante do time nacional é amplamente questionada por conta dos fracos resultados das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010: são três tropeços consecutivos atuando no Brasil, contra Argentina, Bolívia e Colômbia. Dunga, no entanto, prefere destacar a vice-liderança da competição, atrás apenas do Paraguai.

O ex-jogador ainda se irritou com as insinuações de que estaria em contato com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, para resolver sua situação: “Por que eu tenho que falar com o presidente se é ele quem comanda e não fala nada comigo? É um pouco estranho isso e acho que tem muitas vozes falando ao mesmo tempo”.

Para encerrar de vez o assunto, Dunga descartou um mau relacionamento com a torcida e viu como normal as manifestações feitas por alguns treinadores, de olho no cargo de técnico da seleção brasileira. Wanderley Luxemburgo e Muricy Ramalho são os mais cotados, atualmente, em caso de eventual mudança de comando.

“Todo mundo tem que aspirar isso, ter essa vontade, mas depende de como a gente se comporta. Sei que tenho o carinho da torcida pela minha postura”, complementou Dunga, que comandará o selecionado brasileiro nesta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), em amistoso contra Portugal, no Estádio Bezerrão, na capital do país.

Apesar de os boatos apontarem Muricy Ramalho como favorito caso o presidente da CBF decida mudar o comando da seleção, Dunga pareceu dar uma indireta para Wanderley Luxemburgo, que foi recentemente agredido pela torcida organizada do Palmeiras. “Eu procuro não pensar nos outros. Eu ando sem seguranças e tenho o carinho graças às minhas atitudes”, disse.

O grupo de jogadores que atua na Europa chegou a Brasília aproximadamente às 23 horas, vindos de Portugal, junto com o elenco da seleção européia. O elenco que conta com Cristiano Ronaldo e Deco adotaram a mesma tática de Dunga, ‘fugindo’ do contato com a torcida no aeroporto, enquanto os craques brasileiros atravessaram o saguão.


Leia mais sobre: Seleção brasileira Dunga



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AP

Vai cair?
Dunga entende que tem o carinho da torcida e não acha que deve perder seu emprego em breve

Topo