iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

17/11 - 15:36

Depois de levar multa, Maurinho chama policial de fofoqueiro

Lateral do Cruzeiro estava sem a carteira de habilitação e policial ainda o "dedurou" para uma rádio mineira

Redação iG Esporte

SÃO PAULO - Apesar de estar longe da boa fase que lhe rendeu até convocações para a seleção brasileira, o lateral-direito Maurinho, que vem sendo pouco aproveitado pelo Cruzeiro, continua tendo dor de cabeça com a fama de jogador de futebol.  

Como não foi relacionado para a partida contra o Náutico, no último sábado, em Recife, por opção do técnico Adilson Batista, o jogador saiu com uma amiga à noite, em Belo Horizonte. Parado em uma blitz policial, acabou levando uma multa porque dirigia sem carteira de habilitação.

O problema, entretanto, não foi esse. No dia seguinte, o policial que fez a autuação foi entrevistado por uma rádio mineira e falou sobre o ocorrido. Maurinho ficou furioso com a situação, a ponto de divulgar um comunicado criticando a atitude do oficial e o chamando de "fofoqueiro". 


Leia na íntegra o comunicado oficial do jogador:

"No último sábado eu estava uma amiga de São Paulo aqui em Belo Horizonte. Fomos a uma festa. Até aí, tudo bem, já que não fui relacionado para enfrentar o Náutico, em Recife. No caminho, fui parado por uma blitz. Como saí de casa e esqueci a minha carteira de habilitação, recebi multa por cometer uma única infração de trânsito: dirigir sem portar a CNH, cujo boletim de ocorrência foi lavrado às 23h.

Até aí, tudo bem também, não fosse o policial ter entrado em contato com uma rádio da capital para anunciar o fato. Em troco de que? De um minuto de "fama", tendo em vista que se tratava da rádio de maior audiência do Estado? Agora, eu quero saber: eu no estava no meu papel de cidadão comum ou o policial militar que extrapolou suas funções?

No momento em que fui autuado por cometer tal infração, o guarda foi perfeito. Aplicou-me uma multa e exigiu que a pessoa que estava ao meu lado, habilitada, assumisse o volante do veículo. Porém, a obrigação dele terminaria ali. Ele teria feito o papel dele e eu pagaria por isso.

No entanto, a vaidade e o denuncismo gratuito falaram mais alto e o policial assumiu o papel ridículo, diga-se de passagem, de fofoqueiro. Em vez de continuar seu trabalho e tentar impedir que pessoas alcoolizadas, drogadas e até mesmo sem habilitação continuassem a transitar pelas ruas da cidade. Sem contar os bandidos, que, como todos sabem, são muitos...

A cultura brasileira está distorcida. O atleta profissional é um trabalhador como outro qualquer. Ele tem suas obrigações, mas também tem seus direitos, que são constitucionais, inclusive. Não fiz nada de errado. Não estava em meu horário de trabalho. Minha folga vai até amanhã (terça-feira), para ser mais exato. Ou seja, estava no meu momento de lazer e, nele, faço o que bem entender: descanso, passeio e acreditem vou até ao banheiro, como qualquer ser humano.

Se houver outra folga e eu estiver com vontade de sair, farei tudo de novo, pois estou no meu direito. Só que, da próxima vez, levarei minha Carteira Nacional de Habilitação

Atenciosamente, Maurinho"

E VOCÊ, INTERNAUTA, CONCORDA COM O JOGADOR? COMENTE NO CAMPO ABAIXO!


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Vipcomm

Lateral do Cruzeiro
Maurinho se revolta com policial que avisou rádio mineiro sobre uma infração cometida pelo jogador

Topo