iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

15/11 - 11:18

Náutico e Cruzeiro se enfrentam sob olhares de todo o país

Brigas pelo título e também contra o rebaixamento estarão em jogo no Estádio dos Aflitos neste sábado

Gazeta Esportiva

RECIFE - Náutico e Cruzeiro se enfrentam no fim da tarde deste sábado, no Recife, numa das partidas mais importantes da 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em 17º, o Timbu é o primeiro time da zona de rebaixamento e peça-chave na luta contra a Série B. No terceiro lugar, a Raposa precisa da vitória para continuar sonhando com o título.

Faltando apenas quatro rodadas para o fim da competição, os jogos parecem ganhar cada vez mais importância. Tanto do lado pernambucano quanto do mineiro, o pensamento é encarar toda partida como se fosse final de campeonato, sem deixar para amanhã o que se pode fazer hoje.

“Nós temos que pensar em um jogo de cada vez. Estamos com o pensamento no Cruzeiro, que é uma das melhores equipes do campeonato. Vamos precisar da força do nosso torcedor, pois se trata de um jogo muito difícil”, opina o zagueiro alvirrubro Vagner.

Discurso parecido faz o volante celeste Marquinhos Paraná. “Agora é a reta final, só faltam quatro jogos, e nós só podemos pensar em vencer. É complicado jogar em Recife, foi sempre complicado, o Náutico está na zona de rebaixamento, está querendo a vitória a qualquer custo, mas nós vamos lá com bastante cautela, atenção, para a gente não ser surpreendido”, pede.

O fator campo, naturalmente, pende a favor do Náutico. No entanto, o caldeirão dos Aflitos está longe de ser infalível. Durante o campeonato, os alvirrubros foram batidos cinco vezes dentro de sua própria casa. Coincidentemente, cinco é também o número de vezes que o Cruzeiro venceu longe do Mineirão.

Quanto à formação das equipes, ainda há segredos. No Timbu, o técnico Roberto Fernandes não confirma nem mesmo que esquema tático a ser utilizado. Precisando sair para o jogo, não deve adotar postura defensiva. No entanto, é possível que sejam escalados três zagueiros.

Para o treinador, números como 4-4-2 e 3-5-2 não importam tanto na hora do jogo, desde que haja atenção. “O principal é a equipe estar equilibrada. Se a gente se desorganizar, vamos dar armas para eles nos atacarem. Precisamos tirar os espaços do Cruzeiro dentro de campo, pois considero a melhor equipe da competição”, pensa.

O Cruzeiro, que chegou ao Recife na manhã de quinta-feira, preparou-se com calma para o jogo nas dependências do Sport. Quanto à formação, não há segredo: dois zagueiros, três volantes – sendo que Ramires também avança –, um meia e dois no ataque. A dúvida é quanto a nomes, pois Espinoza e Carlinhos lutam para entrar no time, no lugar de Léo Fortunato e Fernandinho, respectivamente.

“Nós fizemos um trabalho na quarta-feira e eu venho conversando, é um momento decisivo. Eles sabem a maneira de atuar, a gente passa algumas informações. É em função disso que eu acho importante a vinda para cá, sentir o clima, se preparar, cuidar dos atletas para que a gente possa fazer um grande jogo”, explica o técnico Adilson Batista.

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO X CRUZEIRO

Local: Estádio dos Aflitos, Recife (PE)
Data: 15 de novembro de 2008, sábado
Horário: 17h30 (Recife) / 18h30 (Brasília)
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Assistentes: Marrubson Melo Freitas (DF) e Nilson Alves Carrijo (DF)

NÁUTICO: Eduardo; Adriano, Vagner, Everaldo e Alessandro; Ticão (Titi), Hamilton, William e Clodoaldo; Felipe e Gilmar
Técnico: Roberto Fernandes

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Fortunato (Espinoza) e Fernandinho (Carlinhos); Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Wagner; Guilherme e Thiago Ribeiro
Técnico: Adilson Batista


Leia mais sobre: Náutico Cruzeiro Brasileirão



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Futura Press

Em busca do alívio
Náutico contará com apoio da torcida para buscar superação e tentar vencer o Cruzeiro

Topo