iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

13/11 - 18:01

Patrício vê Fluminense mais forte que Flamengo e similar à Lusa

Atuações no empate por 2 a 2 com o Flamengo no Maracanã e na derrota por 3 a 2 para o São Paulo animaram a Portuguesa

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Apesar de ter somado apenas um ponto nas duas últimas rodadas devido a gols sofridos nos minutos finais, as atuações no empate por 2 a 2 com o Flamengo no Maracanã e na derrota por 3 a 2 para o São Paulo animaram a Portuguesa. A ponto de a equipe se considerar até mais forte do que o atual quinto colocado do Brasileiro.

Ocupando a antepenúltima posição no Brasileiro, a Lusa precisa dos três pontos neste sábado, quando enfrenta o Fluminense no Rio de Janeiro, para ter chances de deixar a zona de rebaixamento e ficar longe do perigo nas rodadas que ainda restarão. E a motivação está na última aparição rubro-verde pelo principal estádio carioca.

“Jogar no Maracanã, contra os times cariocas, é sempre difícil. No meu modo de ver, a equipe do Fluminense é mais forte do que o Flamengo. O Flamengo tem um time mais técnico. O Fluminense se compara mais à Lusa”, compara Patrício.

A análise do lateral-direito, no entanto, precisa ser provada em campo. E por isso o jogador, um dos mais experientes do grupo, pede concentração e não deixar a equipe de René Simões se aproveitar das dimensões do Maracanã.

“Vamos ter de batalhar muito, igualar o Fluminense na força e ter os cuidados de sempre. O Maracanã tem um gramado grande e qualquer erro dificilmente você terá outra oportunidade”, explica o camisa 2, ressaltando o fim dos erros que tiraram melhores resultados do time nos últimos compromissos.

“O torcedor está vendo que a nossa equipe está ajeitada, correndo muito, se superando. O time vem fazendo bons jogos, independentemente do adversário. Talvez esteja faltando um pouco de concentração em determinados momentos. Mas estamos bastante confiantes para esse jogo”, garante Patrício.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo