iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

13/11 - 00:49

Felipe denuncia: "Eles acham que preto não sabe jogar bola"

Goleiro disse ter escutado insultos racistas durante toda a partida, que terminou com vitória corintiana por 2 a 1

Gazeta Esportiva

CAXIAS DO SUL - A pressão da torcida do Juventude sobre a equipe do Corinthians nesta quarta-feira, no estádio Alfredo Jaconi, não se resumiu a arremesso de objetos no gramado, cuspes ou a gritos de “é esse” para o atacante Dentinho – que cometeu falta sobre o volante Renan, no primeiro turno, e contundiu gravemente o adversário. O goleiro Felipe escutou insultos racistas durante toda a partida, que terminou com vitória corintiana por 2 a 1.

“Todo mundo ouviu. Eles acham que preto não sabe jogar bola, que só branco sabe. Foi bom a gente ter ganhado. Vou comemorar muito essa vitória”, afirmou.

Felipe está acostumado a fazer denuncias racistas. Nesta Série B do Campeonato Brasileiro, o goleiro já reclamou de ser chamado de “macaco” pela torcida do ABC, em Natal. Na ocasião, disse que combater o tema era “a mesma coisa que bater em ponta de faca”.

Em 2005, Felipe acusou Paulo Carneiro, então presidente do Vitória, de lhe desferir ofensas semelhantes após a equipe ser rebaixada à Série C. O próprio jogador, por vezes, chega a brincar com a situação. Quando ganhou uniforme amarelo da patrocinadora do Corinthians, protestou com bom humor: “Preto com amarelo é sacanagem, né? As pessoas me chamarão de lombada”.

Para o Juventude, denúncias de racismo também são comuns. Envolveram até um hoje corintiano. O diretor-técnico Antônio Carlos, zagueiro da equipe gaúcha em 2006, acertou uma cotovelada no ex-gremista Jeovânio e acabou expulso. Ao deixar o gramado do estádio Alfredo Jaconi, fez o gesto de que mais se arrepende na carreira: esfregou o braço com os dedos, em referência à raça do adversário.

Também jogando pelo Juventude, o volante Júlio César registrou queixa contra os torcedores da própria equipe gaúcha após ser chamado de “macaco” em partida contra o Atlético-MG, em agosto do ano passado. Em 2006, Tinga, então no Internacional, provocou uma punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ao time de Caxias do Sul depois de receber insultos parecidos.

Felipe, no entanto, duvida de uma nova sanção. “A punição maior para o Juventude é continuar na Segunda Divisão. E, no ano que vem, quem sabe cair para a Série C”, desabafou o goleiro do Corinthians. Já o gaúcho Mano Menezes minimizou: “Não sei direito o que aconteceu. Mas essas pessoas que se referem a profissionais de cor negra são uma minoria, que se esconde no anonimato. Infelizmente, as penas costumam ser brandas”.


Leia mais sobre: Felipe Corinthians Série B



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Tensão em Caxias do Sul
Apesar de insultos e de objetos jogados no campo, Corinthians vence na casa do rival

Topo