iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

12/11 - 23:59

Alex e Nilmar deixam Inter próximo da final da Sul-Americana

Gaúchos não se intimidaram jogando no México e aplicaram 2 a 0 no Chivas Guadalajara no emblemático Jalisco

Gazeta Esportiva

GUADALAJARA (México) - Os bons fluídos do Estádio Jalisco, onde o Brasil brilhou na Copa de 1970, além do imortalizado uniforme todo branco do Inter, no qual o clube conquistou o Mundial de Clubes, ajudaram os colorados a ficarem bem próximos de uma classificação à decisão da Copa Sul-Americana. Mesmo jogando no México a partida de ida da semifinal, o time brasileiro venceu o Chivas por 2 a 0.

Numa atuação que começou oscilante, os comandados de Tite se impuseram no segundo tempo e construíram um placar importante para a partida de volta. Nilmar, em jogada de velocidade, e Alex, cobrando falta, fizeram os gols da vitória.

O segundo confronto ocorre na próxima quarta-feira em Porto Alegre. O Inter pode até mesmo perder por um gol de diferença que avança à uma final inédita para o futebol brasileiro. Vitória dos mexicanos por 2 a 0 leva a decisão para os pênaltis.

Antes, no fim de semana, os dois clubes entram em campo pelos campeonatos nacionais. O Colorado enfrenta o Santos na Vila Belmiro, já o Chivas receberá o Índios. Tanto gaúchos quanto mexicanos devem escalar times reserva.

Faltou um pouco de coragem ao Inter nos instantes iniciais. Tímido no começo do jogo, o time de Tite custou a se aventurar no campo adversário, tanto é que diversas vezes Lauro precisou jogar com os pés. Com 12 minutos, Andrezinho bateu e o goleiro Hernández, no reflexo, colocou a bola para escanteio. O lance serviu para os colorados se darem conta que exista um território para ser ocupado logo após a linha divisória do gramado.

Os visitantes começaram a pressionar na marcação e roubar a bola com maior freqüência. O Chivas sentiu a mudança de atitude do adversário e passou e errar passes em demasia. O Inter rondava a área mexicana, mas uma oportunidade clara para marcar não surgia. O ritmo vermelho caiu e a equipe se retraiu novamente.

AP
and
Andrezinho não jogou à altura de D'Alessandro, mas chegou a acertar o travessão do Chivas


O marco para nova mudança de atitude dos gaúchos ocorreu aos 27 minutos, quando Arellano chutou e Álvaro evitou o a abertura do placar. Os donos da casa conseguiam virar com constância e de maneira rápida a bola, girando-a da direita para a esquerda. A inversão de jogo começou a atrapalhar a defesa gaúcha que precisava se virar nas bolas por cima.

Andrezinho não substituía bem D’Alessandro. Sem a ligação entre defesa e ataque sendo bem feita, Alex tentava resolver por conta própria. Primeiro cobrando falta, depois batendo de dentro da área e Nilmar desperdiçando o rebote. A melhor chance da primeira etapa ocorreu aos 44 minutos: Arellano cabeceou livre perto da risca da pequena área e a bola passou a poucos centímetros da trave de Lauro. Antes, o Inter ainda teve um gol de Nilmar, aparentemente, mal anulado.

Tentando aproveitar-se da bipolaridade colorada no confronto, o treinador Efraín Flores tirou no intervalo o defensor Esparza para colocar o meia Medina. Mas o Inter saiu do vestiário em estado de euforia e criou três oportunidades perigosas no primeiro terça da etapa final com Magrão, Nilmar e Andrezinho.

Arellano perdeu mais uma chance de cabeça. Se o atacante mexicano não aproveita suas oportunidades, o mesmo não pode ser dito de Nilmar. O atacante colorado entrou em velocidade na área, driblou um zagueiro e chutou para colocar o Inter em vantagem, aos 24 minutos.

Com o Chivas tonteado, Andrezinho achou o travessão e por pouco não ampliou. Mas faltava o de Alex. O gol veio em cobrança de falta perfeita do camisa 10 colorado. Com o adversário nocauteado, os colorados fizeram a bola e o tempo correrem até o apito final do juiz.

FICHA TÉCNICA (veja como foi o jogo lance a lance)
CHIVAS 0 X 2 INTERNACIONAL

Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara (México)
Data: 12 de novembro de 2008, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Carlos Torres (Paraguai)
Assistentes: Emigdio Ruiz e Nicolas Yegro (ambos do Paraguai)

Cartões amarelos: Araujo, Esparza, Reynoso e Mejia (C); Índio e Guiñazu (I)

Gols: INTERNACIONAL: Nilmar, aos 24 minutos, e Alex, aos 33 minutos do segundo tempo

CHIVAS: Hernández; Mejia, Reynoso (Ávila), Ocampo e Esparza (Medina); Báez, Araujo, Solis e Morales; Arellano e Santana
Técnico: Efraín Flores

INTERNACIONAL: Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazu e Andrezinho (Rosinei); Alex (Sandro) e Nilmar (Taison)
Técnico: Tite


Leia mais sobre: Internacional Chivas Guadalajara



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Reuters

Fez a diferença
Nilmar foi um dos destaques da partida: melhor para os colorados, muito perto da vaga na final

Topo