iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/11 - 19:43

No Santos, ordem é não pensar no rebaixamento
Para o lateral Wendel, clube da tradição do time da Vila Belmiro precisa sempre focar objetivos maiores a serem alcançados

Gazeta Esportiva

SANTOS - Apesar de não vencer há três rodadas e acumular duas derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro, a ordem no Santos é não pensar somente em livrar a equipe do rebaixamento. Para o lateral Wendel, um clube da tradição do time da Vila Belmiro precisa sempre focar objetivos maiores a serem alcançados.

O jogador contou que durante a conversa entre os jogadores e o técnico Márcio Fernandes na reapresentação do elenco, nesta terça-feira, ficou acertado que a palavra ‘rebaixamento’ não deve passar pela cabeça dos santistas. “Tivemos uma reunião muito boa e o Adaílton falou que a gente precisa pensar alto. Se ficarmos apenas falando em rebaixamento, vamos entrar em campo sempre pressionados e as coisas vão ficar mais difíceis a cada jogo”, apontou Wendel.

Para Wendel, o zagueiro está certo em seu raciocínio. “Não podemos pensar só em não cair. Temos que pensar em alcançar algo maior. Quanto mais nós pensarmos nisso mais difícil a coisa pode ficar e aí, o nervosismo pode tomar conta da gente. Não podemos deixar isso acontecer, sabemos que é complicado, porém, temos que somar o maior número de pontos possíveis para nos garantirmos rapidamente na Sul-americana”, comentou.

Segundo o lateral-direito, o grupo alvinegro compartilha desse pensamento e espera colocar em prática essa idéia já no domingo, quando o Peixe enfrenta o Internacional, na Vila Belmiro. Caso conquiste a vitória, nas contas do treinador Márcio Fernandes, o time estará livre do fantasma do rebaixamento. “O Brum (o volante Roberto Brum) nos passou algo muito importante nesta reunião também. Ele abraçou cada um de nós e disse que esta será uma semana de vitórias. Esperamos que isso aconteça”, finalizou.


Leia mais sobre: Santos Brasileirão



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo