iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/11 - 19:03

Kléber Pereira se defende sobre polêmica envolvendo árbitro

“Quando eu falei do bolso, falei que ele era bem sucedido profissionalmente e não precisaria disso”, argumentou

Gazeta Esportiva

SANTOS - O atacante Kléber Pereira resolveu se pronunciar no final da tarde desta terça-feira, no CT Rei Pelé, sobre a polêmica envolvendo ele e o árbitro Elmo Alves Resende Cunha. Depois de ser ameaçado de processo pelo juiz goiano e ficar na mira da procuradoria do STJD, o artilheiro santista resolveu comentar as declarações feitas por ele neste sábado, quando o Peixe foi derrotado pelo Vasco, por 1 a 0, em Sâo Januário, pelo Campeonato Brasileiro.

Em um rápido pronunciamento à imprensa, o centroavante se defendeu. “Eu sempre procuro falar com o assessor (de imprensa) para não me envolver em problemas como esse. Não quis me expressar daquela maneira e fui mal interpretado por alguns jornais. Também coloquei algumas coisas que eu não queria falar”, disse Pereira.

Apesar da auto-defesa do atacante, o aúdio da entrevista para a rádio Jovem Pan, momentos após o confronto, não deixa dúvidas. “Ele não sentiu a pressão. Já veio pressionado. O bolso dele deve estar cheio”, afirmou no sábado.

No entanto, o camisa 9 do Alvinegro Praiano tentou explicar que não foi exatamente isso o que ele queria dizer. “Quando eu falei do bolso, falei que ele era bem sucedido profissionalmente e não precisaria disso”, argumentou. “Nunca tive problema com nenhum árbitro”, ressaltou.

Para finalizar, Kléber Pereira acredita que o melhor a se fazer neste momento é tentar esquecer este episódio e continuar ajudando o time da Vila Belmiro a sair da situação incômoda em que se encontra no Brasileirão. “Me expressei de cabeça quente, na hora errada. Agora é esquecer isso, botar a cabeça no lugar e seguir em frente, procurando fazer sempre o melhor pelo Santos”, encerrou.


Leia mais sobre: Kléber Pereira Elmo Alves Resende Cunha



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo