iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

10/11 - 09:21

Zaga gremista comemora "jogo da vida" diante do Palmeiras
Amaral, Jean e Héverton são reservas, mas conseguiram sair do Palestra Itália sem sofrer nenhum gol

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O desempenho defensivo do Grêmio diante do Palmeiras no Parque Antártica foi perfeito. A atuação da retaguarda tricolor nem parecia que era formada por três zagueiros reservas. Por isso, pode-se dizer que a vitória por 1 a 0 sobre, em duelo pela vice-liderança do Campeonato Brasileiro, passa pelas atuações de Amaral, Jean e Héverton, que blindaram a área de Victor.

O trio titular estava impossibilitado de entrar em campo. Léo e Pereira estavam lesionados, e Rever estava suspenso. Não bastasse isso, o substituto imediato, William Thiego, também ficaria de fora por ter recebido o terceiro cartão amarelo diante do Figueirense. Mesmo assim, Celso Roth não êxitou e manteve o esquema 3-5-2.

“Para mim, foi o jogo da vida. Atuei na posição que não era a minha, mas todos estão de parabéns”, disse o volante Amaral, que, pelo lado direito de defesa do Grêmio, não deu espaços para Denílson jogar.

Se para Amaral, 25 anos e passagem pelo Vasco, a partida foi importante, imagine para Héverton. O garoto das categorias de base fez, em São Paulo, sua primeira partida como profissional. Aos 19 anos, o jovem de 1,88m não tremeu.

“Foi o jogo da minha vida. Hoje, tinha que dar tudo. O pessoal confiou em mim. Pude retribuir para eles. Nunca deixamos de ser candidatos, tivemos alguns tropeços. Vamos pensar só em nós, agora”, opinou o guri, que disse que a simplicidade é a sua principal característica.

Para enfrentar o Coritiba na próxima rodada, William Thiego, Rever e Léo deverão estar de volta ao time.

Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo