iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/11 - 21:45, atualizada às 11:11 09/11

Palmeiras e Grêmio revivem rivalidade dos anos 90 em "decisão"

Depois de jogos inesquecíveis entre os times na década passada, uma "decisão" volta a acontecer entre os dois

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Duas equipes que monopolizaram o futebol brasileiro no meio dos anos 90. Palmeiras e Grêmio ficaram sob a mira de todos os holofotes com jogos inesquecíveis, principalmente quando eram dirigidos, respectivamente, por Wanderley Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari.

Neste domingo, às 17 horas, no Parque Antártica, os dois clubes voltam a jogar um confronto decisivo, com grande peso para a disputa do título nacional. O Verdão é segundo colocado na classificação, com 61 pontos, quatro atrás do líder São Paulo. O Tricolor gaúcho tem 60 e está em terceiro.

Na década passada, três encontros de Palmeiras e Grêmio mexeram com os torcedores. Nas quartas-de-final da Libertadores de 1995, com uma briga generalizada no jogo de ida em Porto Alegre, e nas quartas-de-final do Campeonato Brasileiro de 1996, os gaúchos levaram a melhor. Na semifinal da Copa do Brasil de 1996, o Verdão garantiu a vaga.

“Foram grandes jogos contra o Felipão, nós éramos os técnicos do momento, também competi muitas vezes com o Telê Santana. Grêmio e Palmeiras tiveram uma rivalidade diferente, foram jogos tumultuados”, recorda Luxemburgo, que reassumiu o Palmeiras no início de 2008.

Neste ano, os ânimos entre os times voltaram a ficar acirrados, principalmente por declarações polêmicas por parte das diretorias. O Grêmio reclamou de que o Palmeiras estaria sendo beneficiado em algumas decisões do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Imediatamente, o Verdão retrucou através do gerente de futebol Toninho Cecílio e apontou erros de arbitragem favoráveis aos gaúchos na competição.

Em campo, Palmeiras e Grêmio mantêm suas características históricas, com toque de bola do time paulista e força física do lado gaúcho. “É a característica de cada clube. O Grêmio é um time pegador, privilegia jogar em casa, está sempre bem atento nos 90 minutos. O Grêmio nunca é fácil de ser batido”, analisa Luxemburgo.

Na rodada, o Palmeiras e Grêmio vão entrar pressionados pela vitória do São Paulo sobre a Portuguesa por 3 a 1, que assegurou a liderança ao Tricolor. Para Luxemburgo, o resultado do líder do Campeonato Brasileiro pouco importa. “Vou ter que ganhar de qualquer jeito, independentemente do São Paulo. Não é pior ou melhor saber o que eles fizeram”, explica o comandante alviverde.

Porém, os desfalques atrapalham o trabalho de Luxemburgo. O volante Sandro Silva e o atacante Kléber estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo. De última hora, o Palmeiras ainda perdeu o meia Diego Souza, que tomou um jogo de suspensão em julgamento no STJD. Para completar, o zagueiro Roque Júnior é dúvida. A boa notícia é a volta do goleiro Marcos.

Mesma obrigação - Tendo perdido a liderança na competição ao empatar em casa com o Figueirense, o Grêmio não quer outro resultado que não seja a vitória em São Paulo. Empatar ou perder será considerado ruim e deixará a briga pelo título do Brasileirão distante.

Para um confronto de tamanha importância, Celso Roth está em apuros: sua defesa foi desmantelada. Rever e William Theigo estão suspensos, Pereira sente problema muscular e Léo, com dores no tornozelo, também fica fora. Com tantas baixas na zaga, sobrou somente Jean.

Para manter o 3-5-2, o técnico deverá recuar o volante Amaral, que já cumpriu esta função antes. O garoto Héverton, que fechará o trio defensivo, fará sua estréia com a camisa tricolor. Se a opção for pelo 4-4-2, Amaral fica no banco e Douglas Costa retorna ao time, em uma hipótese pouco provável.

Na ala-direita, os problemas prosseguem. Felipe Mattioni cumprirá suspensão e Paulo Sérgio, que pertence o Palmeiras, não pode atuar devido à cláusula contratual (mesmo caso do volante Makelelê). O meia Souza tapará o buraco.

A preocupação também chega ao ataque. Não há desfalques no setor, mas a fase não é boa. O time tem marcado poucos gols nas últimas partidas. Fora de casa, os gremistas não balançam as redes há quatro jogos. Para tentar terminar com a seca, Marcel ganha nova chance entrando no lugar de Perea, que não viajou para São Paulo com a delegação.

“É um jogo difícil, de batalha, de luta, com pouco espaço. Mas o Grêmio tem essa característica e vai lutar o tempo todo. A torcida pode ter certeza de que nós vamos sair esgotados de campo e buscar a vitória”, declarou Marcel, dando indícios que deve jogar.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X GRÊMIO

Local: Estádio Parque Antártica, em São Paulo (SP)
Data: 09 de novembro 2008, domingo
Horário: 17 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Erich Bandeira (Fifa-PE)

PALMEIRAS: Marcos; Gustavo, Maurício (Léo Lima) e Martinez; Elder Granja, Jumar, Pierre, Evandro e Leandro; Denilson e Alex Mineiro
Técnico: Wanderley Luxemburgo

GRÊMIO: Victor; Héverton, Jean e Amaral (Douglas Costa); Souza, William Magrão, Rafael Carioca, Tcheco e Hélder; Marcel e Reinaldo
Técnico: Celso Roth


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

palmeiras seleção brasileira

E agora será diferente?
Luxemburgo definiu os jogos entre Grêmio e Palmeiras de antigamente como "tumultuados"

Topo
Contador de notícias