iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/11 - 11:08

Dirigentes colorados ressaltam resultado histórico na Argentina

Resultado deixou o Inter como o único clube brasileiro na competição, já que Palmeiras e Bota estão fora

Gazeta Esportiva

PORTO ALEGRE - As duas derrotas para o Boca Juniors na Bombonera, em 2004 e 2005, ainda incomodavam o âmago do Internacional. Por duas vezes, os gaúchos viram o time ser eliminado pelos argentinos na Copa Sul-americana.

Nesta quarta-feira, porém, a escrita foi diferente, e mesmo atuando no mítico estádio portenho, os xeneizes foram batidos por 2 a 1.

“As derrotas foram um aprendizado. Temos que seguir assim para cada vez mais termos mais sucesso, como temos tido nos últimos anos”, comentou um aliviado Fernando Carvalho. O atual assessor de futebol era o presidente do clube quando o Inter saiu como perdedor de Buenos Aires.

Carvalho teve papel importante no triunfo que garantiu a vaga colorada na semifinal. Ele convenceu o zagueiro Bolívar a atuar na lateral-direita para reforçar o sistema defensivo. A tática rendeu a quarta derrota do Boca em seus domínios para equipes brasileiras em todos os tempos.

“Resultado histórico. Eles estavam dizendo aqui na argentina que o Boca era um carma colorado. Decidir aqui é difícil. Já tínhamos feito este tipo de partida antes. Nos jogos de mata-mata, é mais fácil manter a corda esticada”, explicou o dirigente ao comparar os motivos do desempenho do Brasileirão deixar a desejar.

Os resultados das semifinais deixaram o Inter como o único clube brasileiro vivo na competição, já que Botafogo e Palmeiras foram eliminados por Estudiantes e Argentinos Juniors, respectivamente. O fato é um motivo a mais para os colorados comemorarem.

“Desde o início, dissemos que queríamos ganhar este torneio. É o único título da atualidade que o clube ainda não tem. Queremos ser os primeiros brasileiros a vencer”, afirmou o presidente Vitório Piffero.

Bastisdores -
O clube vive processo eleitoral e o presidente concorre à reeleição. Sobre a permanência de Tite como técnico, ele saiu pela tangente, não comentando abordando diretamente o assunto. Porém, elogiou o comandante ao falar da situação do time no Campeonato Brasileiro.

“O desempenho do Tite é de G-4. Estamos pagando a conta pelo o que ocorreu antes dele”, analisou o presidente colorado. Mesmo assim, a tendência é que o clube tenha um novo treinador em 2009.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo