iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/11 - 10:28

Diretor lamenta saída de Fábio Ferreira: “Foi uma perda grande”

Provável destino de Fábio Ferreira, que ficou marcado pelo rebaixamento, é o AEK Atenas, da Grécia

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O zagueiro Fábio Ferreira só disputou a atual temporada pelo Corinthians por insistência do diretor-técnico Antônio Carlos, com quem jogou no Juventude. Remanescente da equipe rebaixada à Série B, ele é perseguido por torcedores desde que foi acusado por uma vizinha, no auge da crise do ano passado, de promover festas no apartamento que dividia com o ex-companheiro Zelão.

Fábio Ferreira não resistiu às cobranças. Em 2008, o jogador foi chamado de “cachaceiro” e “baladeiro” por corintianos que criticaram a equipe após o vice-campeonato da Copa do Brasil. Em sua página de recados no site oficial do clube, ele recebe insultos diários de homens e juras de amor de algumas mulheres. Seu rendimento melhorou no final da temporada, quando substituiu Chicão em diversas ocasiões, mas não o suficiente para evitar um acordo amigável para deixar o Parque São Jorge.

“O Fábio Ferreira é um caso à parte. Ele permaneceu no início do ano porque fiz questão. Temos um bom relacionamento e o considero uma ótima pessoa fora de campo. Infelizmente, a torcida colocou a culpa pelo rebaixamento nele e em outros jogadores que estavam aqui”, lamentou Antônio Carlos, para quem o Corinthians se desfez de um atleta talentoso.

“Foi uma perda muito grande para o clube. Ele é um grande jogador e tem tudo para ser ainda melhor sem a pressão que sofre aqui”, confiou o diretor-técnico. O provável destino de Fábio Ferreira é o AEK Atenas, da Grécia. O jogador não viajou com o restante da equipe para os jogos contra Criciúma e Juventus, no sábado e na quarta-feira, respectivamente. Aproveitará a folga para tratar uma lesão na coxa direita e negociar sua transferência para o futebol europeu.

Por enquanto, a diretoria do Corinthians só admite que não renovará o contrato de Fábio Ferreira. Outros jogadores cujos vínculos expirarão no final do ano também deverão deixar o Parque São Jorge. São os casos do zagueiro Alves, dos volantes Almeida (que sequer estreou) e Perdigão, do meia Marcel e do atacante Bebeto. As permanências de Diogo Rincón e Herrera dependem de um acerto com seus clubes de origem. O presidente Andrés Sanchez só se esforçará para manter o segundo no elenco.

“Isso é um processo natural do futebol. Todos os jogadores com contratos que terminam no dia 31 de dezembro ficarão livres para acertar com outros clubes. A maioria deles já sabe quem vai ficar ou não. O jogador tem essa percepção”, afirmou Antônio Carlos. “Mas todos eles honraram a camisa do Corinthians, sempre jogando com raça. Não tivemos nenhum problema com ninguém. Só tenho a agradecer”, despediu-se o dirigente.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo