iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

06/11 - 21:24

Renato Gaúcho critica empregos “suicidas” de Dunga e Maradona
“Não é assim. Você tem que chegar preparado para dirigir a Seleção Brasileira e é o clube que vai te lapidar", disse

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Assim como muitos brasileiros, o técnico Renato Gaúcho se mostrou cético quanto à chegada do ex-jogador Dunga ao comando da seleção brasileira, sem qualquer experiência prévia. Para o treinador do Vasco, o tetracampeão com a seleção brasileira teve atitude suicida.

“Não é assim. Você tem que chegar preparado para dirigir a Seleção Brasileira e é o clube que vai te lapidar. Chegar à Seleção sem ter treinado nenhum clube é um suicídio”, disparou o polêmico treinador, em entrevista ao Sportv, nesta quinta-feira.

Recentemente, outro ex-jogador aceitou a provação de assumir uma seleção nacional sem qualquer experiência prévia. Diego Armando Maradona foi escolhido novo técnico da Argentina, o que só não será tão difícil porque contara com Carlos Bilardo, campeão mundial em 1986, como assistente, segundo Renato.

“Torço muito por ele, mas acho que ele vai passar pelas mesmas dificuldades que o Dunga passou. Mas o Maradona pegou o Bilardo como auxiliar, com todo respeito ao Jorginho”, opinou o comandante cruzamaltino, que, enquanto adquire mais experiência tentando livrar o Vasco do rebaixamento, projeta uma chegada futura ao comando da seleção canarinho.

“Acho que estou pronto, mas a minha hora ainda vai chegar. Hoje tem vários treinadores capacitados, como Luxemburgo e o Muricy. A vida de treinador é muito complicada. O ideal seria trabalhar oito meses e folgar quatro”, completou o treinador, que voltará à beira do campo no clássico contra o Flamengo, marcado para este domingo, às 19h10 (de Brasília), no Maracanã, pela 34ª rodada do nacional.


Leia mais sobre: Renato Gaúcho Dunga Maradona



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Reuters

Costas quentes
Ao contrário de Dunga, Maradona assumiu a Argentina junto com o experiente Bilardo como seu auxiliar

Topo