iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

06/11 - 00:38

Para tentar salvar o ano, Inter precisa passar pelo Boca

Sem chances de chegar à Libertadores via Brasileiro, Colorado é o único time do País com chances na Sul-Americana

Gazeta Esportiva


BUENOS AIRES (Argentina) - A conquista de um título em torneio amistoso – mesmo que com a presença de grandes clubes europeus – e o título do Campeonato Gaúcho não são suficientes para deixar o Inter satisfeito. O principal objetivo da temporada, disputar a Libertadores no ano do centenário do clube, não foi atingido, apesar do investimento pesado. Para amenizar a situação, a saída será vencer a Copa Sul-Americana.

Para tentar arrebatar uma taça inédita para o futebol brasileiro, os colorados terão que cumprir uma tarefa inglória: eliminar o Boca Juniors nas quartas-de-final. O primeiro passo já foi dado. Nesta quinta-feira, às 21 horas (Brasília), será preciso dar o segundo. A fase final desta parte da caminhada terá que ser dada em terreno perigoso, a Bombonera. Porém, a vitória não é obrigatória.

Para avançar de fase, os gaúchos podem perder por um gol de diferença ou, até mesmo, serem derrotados por dois gols desde que também marquem. A vantagem foi conquistada na partida de ida, quando o Inter venceu por 2 a 0. Caso o placar se repita em favor do Boca, a decisão da vaga às semifinais será nos pênaltis.

As vantagens param por aí. O time vermelho precisará passar por cima da incômoda situação de não saber atuar fora de casa. Durante toda a temporada foram poucos os bons resultados conquistados em território inimigo. No Brasileirão, a vitória longe do Beira-Rio apareceu somente duas vezes.

Outro problema é o fator psicológico. Por duas vezes os colorados enfrentaram o Boca na Bombonera, e em ambas sofreram quatro gols. Na segunda, a derrota foi por 4 a 1. Na primeira, o tropeço foi por 4 a 2, resultado que desta vez serve.

“Jogar lá é difícil pelo fator da torcida. Agora a maioria dos jogadores que vai atuar lá tem experiência e sabe que o Boca faz uma pressão grande nos primeiros. Todo mundo tem que lembrar que até uma derrota nos garante a vaga e nessa consciência podemos sair de lá classificados”, afirmou o volante Edinho, que esteve presente nas partidas anteriores contra os xeneizes.

Em campo, Tite só não poderá contar com Ricardo Lopes, lesionado, que não é mais considerado titular absoluto da lateral direita. Com isso, Ângelo segue na equipe. No mais, é força máxima. Com o seu contrato terminando, o treinador sabe que só o título lhe possibilitará uma renovação.

Se o Inter vai com o que tem de melhor, o Boca escalará time reserva. Priorizando o Campeonato Argentino, os boquenses estão numa seqüência de quatro vitórias seguidas. A série fez o clube saltar para a ponta da tabela ao lado de San Lorenzo e Tigres. Em relação ao time que atuou em Porto Alegre, o técnico Carlos Ischia contará com três reforços no banco de reservas. Riquelme, que pediu para jogar, Viatri e Dátolo, só entrarão em campo caso seja necessário.

Quem passar de Inter e Boca terá a vantagem de ser o mandante na partida de volta da semifinal. O adversário será o vencedor do embate entre River Plate e Chivas, que também disputam a vaga nesta quinta-feira, no México. Na primeira partida, os argentinos foram derrotados por 2 a 1.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS X INTERNACIONAL

Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina)
Data: 6 de novembro de 2008, quinta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Óscar Ruiz (Colômbia)
Assistentes: Abraham González e Rafael Rivas (ambos da Colômbia)

BOCA JUNIORS: García; Barroso, Forlín, Muñoz (Roncaglia) e Calvo; Alvaro González, Neri Cardozo, Nicolás Gaitán e Gracián; Mouche e Figueroa
Técnico: Carlos Ischia

INTERNACIONAL: Lauro; Ângelo, Índio, Bolívar e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazu e D’Alessandro; Alex e Nilmar
Técnico: Tite


Leia mais sobre: Internacional Boca Juniors Copa Sul-Americana



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Divulgação

Vantagem fora de casa
Na Argentina, Inter pode até perder por um gol que segue na Sul-Americana

Topo