iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/11 - 23:23

Ainda com esperança, Botafogo visita um Galo em busca de paz

Time carioca ainda acredita que pode buscar uma vaga na Libertadores 2009 e joga para manter esta possibilidade

Gazeta Esportiva

BELO HORIZONTE - Com reduzidas chances de disputar a Libertadores depois da derrota por 2 a 1 para o São Paulo, o Botafogo visita o Atlético-MG, às 17 horas (de Brasília), neste domingo, no Mineirão, praticamente para cumprir tabela, já que a vaga na próxima Sul-Americana está bem encaminhada e não há mais risco de rebaixamento. Não se aproximar da zona de risco, por sinal, é a meta do Galo, que tem 38 pontos e precisa se recuperar da derrota de 2 a 1 para o Coritiba.

Apesar das metas distintas do último embate entre os dois alvinegros neste ano, os confrontos entre essas duas equipes viraram rotina. Em 2008, ambos já se encontraram cinco vezes, com amplo domínio carioca: quatro triunfos e um empate. Levando em consideração a temporada passada, quando o Galo retornou à Série A, o massacre botafoguense é maior: na soma dos dois anos foram sete vitórias cariocas e dois empates em nove duelos.

O histórico do Glorioso já foi responsável por eliminar os mineiros nas duas últimas edições da Copa do Brasil e na Sul-americana deste ano. O técnico botafoguense Ney Franco, no entanto, minimizou o retrospecto recente para analisar a partida deste domingo, quando ele acredita que o saldo positivo não trará nenhuma vantagem à sua equipe.

“Cada jogo tem a sua história e o deste domingo em nada tem a ver com os jogos passados. Com certeza, quando a bola rolar as duas equipes vão esquecer das estatísticas e focar apenas na vitória”, aposta o treinador, ressaltando a força da torcida do Galo.

“Respeito muito o Atlético Mineiro e espero um jogo muito equilibrado, até porque eles precisam muito deste resultado e com toda a certeza vão contar com o apoio dos seus torcedores. Mas também estamos preparados para um grande duelo e para buscarmos a vitória”, promete Ney.

Otimista, o comandante está certo de a ausência de chances reais de garantir a vaga na Libertadores não tira a motivação de seus jogadores, que garantem que o pensamento está focado apenas na conquista dos três pontos. “Não desanimamos porque ainda acreditamos que podemos nos classificar. Uma seqüência de três ou quatro vitórias afasta o pessimismo e aumenta as possibilidades”, torce o goleiro Renan.

“Além disso existem os confrontos diretos entre os times que estão na frente, temos uma tabela possível de pontuarmos nos seis jogos restantes e temos que ter a dignidade de sempre honrar a camisa do Botafogo”, continua o arqueiro.

Apesar do discurso, a prioridade no Botafogo é o duelo da próxima quarta-feira contra o Estudiantes, no Engenhão, pelo confronto de volta das quartas-de-final da Sul-Americana, única chance de título que restou ao clube em 2008. Ney Franco só vai revelar o time no vestiário, mas alguns jogadores podem ser poupados.

A tendência é que sejam poupados Túlio, que sofreu uma forte pancada na coxa direita contra o São Paulo, e Lúcio Flávio, ausência certa por estar se recuperando de um estiramento na coxa esquerda. Isso abre chance para Lucas Silva no meio-de-campo. O lateral-direito Alessandro também é desfalque certo, suspenso pelo terceiro amarelo, e o posto ficará com Thiaguinho. Em compensação, voltam o lateral-esquerdo Triguinho e o meia Carlos Alberto, que cumpriram gancho no último jogo.

Já o Atlético-MG teve como destaque na semana o campo político. Mais de um mês depois da renúncia de Ziza Valadares, o Conselho Deliberativo elegeu Alexandre Kalil como o novo presidente do clube. Ele tem a missão de tornar o clube mais rentável, já que, no momento, os salários estão atrasados e rendas futuras já estão comprometidas.

No time de futebol, a situação também não é boa. Com apenas um ponto conquistado nos últimos nove disputados, a ameaça de rebaixamento se faz presente. Nesta reta final, o Galo precisa fazer valer o mando de campo e somar os pontos necessários para evitar o desastre.

A idéia do técnico Marcelo Oliveira é manter o time, pelo menos, na 13ª posição, garantindo vaga não só na Série A como na Copa Sul-Americana. “Acho que, tendo um comando, um presidente, a diretoria, já é um caminho para que possamos buscar, quem sabe, uma ou duas vitórias, nessa primeira instância, para depois organizarmos para o próximo ano, seja comigo como técnico ou com qualquer outro”, pensa.

Para esta partida, há problemas para escalar o time do goleiro ao ponta-esquerda. Debaixo das traves, Juninho está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e, como vem falhando, pode até perder a vaga em definitivo para Édson. Outro suspenso é o lateral Sheslon, que deve ser substituído por César Prates, que retorna ao time. No departamento médico, o zagueiro Marcos, o volante Serginho e o atacante Marques devem ficar de fora.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG x BOTAFOGO

Local:
Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 2 de novembro de 2008, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Assistentes: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Gilson Bento Coutinho (PR)

ATLÉTICO-MG: Édson; César Prates, Leandro Almeida, Welton Felipe e Raphael Aguiar; Denílson (Nen), Márcio Araújo, Elton e Renan Oliveira; Pedro Paulo e Castillo
Técnico: Marcelo Oliveira

BOTAFOGO: Renan; Thiaguinho, Émerson, André Luís e Triguinho; Rodrigo Sá, Diguinho, Carlos Alberto e Lucas Silva; Jorge Henrique e Wellington Paulista
Técnico: Ney Franco


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo