iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

30/10 - 18:37

Dirigentes argentinos lamentam a morte de presidente do Boca Juniors

Falecimento de Pedro Pompilio, vítima de infarto, levou comoção ao futebol argentino; Boca cancelou  atividades do dia

Ansa

BUENOS AIRES (Argentina) - A morte do presidente do Boca Juniors, Pedro Pompilio, ocorrida na manhã desta quinta-feira, deixou o futebol argentino de luto.

Dirigentes lamentaram a morte do homem que estava à frente do clube mais importante do país há poucos meses, e que faleceu aos 55 anos vítima de um infarto.

Bastante emocionado, o presidente da Associação de Futebol Argentina (AFA), Julio Grondona, falou à rádio Del Plata. "Não posso falar. (Ele era) um filho que vi nascer. Teve bravas lutas, estava sobrevivendo em um clube como o Boca, que não é fácil", disse.

Antonio Alegre, que presidiu o Boca Juniors entre 1985 e 1995, também lamentou a morte de Pompilio. "Estou triste e amargurado, porque era uma pessoa excelente", afirmou à emissora de televisão Todo Notícias. "Eu era feliz com o fato de que ele fosse o presidente do Boca. Ele dava tudo pelo clube, tinha uma conduta extraordinária."

Pedro Pompilio foi eleito presidente do Boca em junho, e sucedeu Mauricio Macri, hoje prefeito da cidade de Buenos Aires. Antes, havia ocupado por 12 anos o cargo de vice-presidente, ao lado do próprio Macri.

Teria mandato a cumprir até o ano de 2011, e entre seus principais objetivos estava a ampliação do estádio do clube, o La Bombonera. Seu sucessor será o atual vice-presidente, Jorge Amor Ameal.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Boca, todas as atividades do clube foram suspensas.


Leia mais sobre: Boca Juniors Pedro Pompilio



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo