iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

25/10 - 18:02, atualizada às 21:49 25/10

Fim do sofrimento: Corinthians vence o Ceará e volta à Série A

Após 32 jogos, Timão obteve 70 pontos, 18 de vantagem para o Barueri, primeira equipe fora do grupo dos que sobem, garantindo assim o acesso a 6 rodadas do fim da Série B

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Acabou o calvário do Corinthians. Ainda restam seis rodadas para o término da Série B do Campeonato Brasileiro, porém a equipe de Mano Menezes garantiu matematicamente o seu retorno à Primeira Divisão com uma vitória por 2 a 0 sobre o Ceará, gols de Douglas e Chicão, neste sábado, no Pacaembu. Quinto colocado, o Barueri perdeu por 2 a 1 para o Paraná.

Veja os gols da vitória corinthiana sobre o Ceará

Para ratificar o acesso, o Corinthians precisou jogar 32 vezes pela Segunda Divisão. Obteve 70 pontos (14 de vantagem sobre o vice-líder Avaí e 18 em relação ao Barueri), sendo 20 vitórias, 10 empates e apenas duas derrotas, para Bahia e Vila Nova. Marcou 67 gols e sofreu 22. A torcida prometeu e não abandonou a equipe durante a campanha. O público total do Timão como mandante já supera 350 mil espectadores.

Ao que parece, o título da Série B é questão tempo. O Corinthians, agora, começa a se planejar para 2009. A prioridade é a renovação contratual do técnico Mano Menezes, que já manifestou vontade de permanecer no Parque São Jorge. A diretoria também trabalhará para manter no elenco jogadores que se destacaram, como o atacante Herrera. O zagueiro Fábio Ferreira, ao contrário, será o primeiro a sair

Gazeta Press
Gazeta Press
Goleiro Felipe e atacante Dentinho exibem cartaz comemorativo ao retorno do Timão à Série A

No próximo sábado, a Fiel promete recriar o ambiente de decisão que criou para a partida do acesso, mas apenas para comemorar. O adversário será o Paraná, outra equipe rebaixada em 2007. Com 44 pontos ganhos e no meio da tabela de classificação, o Ceará não tem mais aspirações na Série B de 2008. Visitará o São Caetano na rodada seguinte, no estádio Anacleto Campanella.

O jogo
A festa já estava preparada no Pacaembu. Até o técnico Lula Pereira, que havia se convidado para participar na véspera, retrocedeu quando subiu ao gramado. “Não viemos para estragar a festa de ninguém”, avisou o comandante do Ceará, após abraçar o colega Mano Menezes e parabenizá-lo “pela conquista”, que ainda não chegara.

A falta de sincronia do Ceará em campo se assemelhava ao discurso de seu treinador e à apresentação das Cheerleaders do Corinthians, que passaram quase despercebidas antes do início do jogo. Em vez de olhar para as cinco garotas, os torcedores preferiram tremular as bandeiras com a inscrição “Eu voltei/ Agora pra ficar” que receberam, entoar o hino do clube e seus tradicionais gritos de guerra.

“Coringão voltou”, o novo coro da Fiel, contagiou os jogadores do Corinthians nos primeiros minutos. Aos 8, alguns torcedores ainda se acomodavam nas arquibancadas quando os demais se levantaram para reclamar de pênalti sobre Herrera. Com a sua garra característica, o argentino retomou a jogada, desvencilhou-se da marcação e chutou na trave. No rebote, Douglas acertou o gol: 1 a 0.

Já não existia mais dúvidas em meio ao público. “O Coringão está de volta. Por que estávamos fazendo contas? Acabou”, gritava um corintiano, enquanto lacrimejava e roia as unhas. A alegria foi ainda maior quando o placar eletrônico do Pacaembu anunciou o gol do Paraná sobre o Barueri. O empate veio em seguida, mas no momento em que havia outro motivo para comemorações. O Fluminense vencia o Palmeiras por 3 a 0 no Rio de Janeiro.

No final do primeiro tempo, o Corinthians se acomodou. É verdade que o goleiro Felipe não fez mais do que duas defesas, porém a desatenção de Morais e Douglas na criação das jogadas impediu a equipe de descer ao vestiário com uma vantagem maior no marcador. A solução foi chutar de longa distância com André Santos, Elias e, principalmente, Cristian. Nenhum deles acertou o alvo.

Assista a também ao vídeo especial do Timão!

Pouco importava, entretanto, a queda de rendimento do Corinthians, que deixou o campo aplaudido. “Falta pouco. A torcida está ajudando, e vamos voltar para a Primeira Divisão hoje”, prometeu o atacante Dentinho. O sistema de som do estádio se precipitou e, já no intervalo, tocava o refrão da música “O Portão”, do palmeirense Roberto Carlos, a quem o placar eletrônico agradecia.

Lula Pereira tentou reanimar o Ceará, substituindo Marcos Paraná por Éderson. Na primeira jogada de ataque do segundo tempo, sua equipe conseguiu assustar o Corinthians. Após cruzamento na área, Sérgio Alves cabeceou, Felipe espalmou e Dezinho empurrou a bola para as redes. Segundo o árbitro, em posição de impedimento. O último lance de perigo dos visitantes acabou com vaias da Fiel.

Aos 4 minutos, um chute forte de Cristian, desta vez em cobrança de falta, enfim surtiu efeito. O goleiro Adílson não conseguiu segurar a bola, e cedeu rebote. O zagueiro-artilheiro Chicão aproveitou para marcar o segundo gol do Corinthians na partida. Levou o distintivo do clube à boca, como gosta de comemorar, e foi ovacionado pelo público, depois de se livrar da suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

No restante da partida, apenas o Corinthians atacou. Lula Pereira gastou as suas últimas cartadas com Charles Chad e Mancuso nos lugares de Sérgio Alves e Michel, que é torcedor do Palmeiras. Conseguiu evitar apenas o terceiro gol da equipe da casa, que festejou mais um do Paraná. Com rádios de pilha em punho, os torcedores acompanharam o pênalti que selou a derrota do Barueri e o fim do sofrimento corintiano. Havia quem chorasse copiosamente no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 0 CEARÁ  (Veja como foi o jogo lance a lance)

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 25 de outubro de 2008, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Maurício Aparecido de Siqueira (MT)
Assistentes: Luiz Fernando Irineu da Silva e Fábio Rodrigo Rubinho (ambos do MT)
Público: 32.341 pagantes (total de 35.425)
Renda: R$ 660.445
Cartões amarelos: André Santos, William (Corinthians); Fabrício, Marcos Paraná, Michel (Ceará)
Gols: CORINTHIANS: Douglas, aos 8 minutos do primeiro tempo,  Chicão, aos 4 minutos do segundo tempo 

CORINTHIANS: Felipe; Alessandro (Carlos Alberto), William, Chicão e André Santos; Cristian, Elias, Douglas (Lulinha) e Morais (Wellington Saci); Dentinho e Herrera
Técnico: Mano Menezes

CEARÁ: Adílson; Dedé, Fabrício, Dezinho e Jorge Guerra; Michel (Mancuso), Chicão, Cleisson, Marcos Paraná (Éderson) e Cadu; Sérgio Alves (Charles Chad)
Técnico: Lula Pereira

Charge iG Esporte
Milton Trajano
A volta dos que mal foram - Por Milton Trajano

Leia também:


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

"Eu voltei"
Embalado pelo sucesso de Roberto Carlos, Timão vence e garante acesso com antecedência

Topo