iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

24/10 - 20:10

Galo e Inter se enfrentam negando a ‘zona da pasmaceira’
O Atlético-MG sofreu o trauma do rebaixamento em 2005 e quer distância absoluta deste fantasma

Gazeta Esportiva

BELO HORIZONTE - Atlético-MG e Internacional fazem um duelo entre dois times que têm pouco a fazer no restante do Campeonato Brasileiro. Faltando oito rodadas, as duas equipes devem se locomover pouco na tabela e há remotas chances de que saiam das faixas que hoje ocupam.

Em 12º, o Galo ainda se preocupa com a luta contra o rebaixamento, mas a tarefa não é complicada. Segundo o matemático Tristão Garcia, o time mineiro começou a rodada com apenas 3% de chances de cair. A mesma porcentagem era atribuída ao Colorado em sua corrida por uma vaga na Libertadores. Porém, o sonho ficou ainda mais distante com as vitórias de Flamengo, Grêmio e São Paulo na quinta-feira.

Ainda assim, a matemática não entra em campo e nenhuma das equipes despreza as pequenas possibilidades, para bem ou para mal. A partida será no Mineirão, em Belo Horizonte, no sábado, a partir das 18h20, horário de Brasília.

O Atlético-MG sofreu o trauma do rebaixamento em 2005 e quer distância absoluta deste fantasma. “Falaram para nós que alguns matemáticos calculam em 3% as chances de o Atlético cair. Então, vamos lutar para que essa chance seja de 0% bem rápido. Nada melhor que somar pontos já diante do Internacional para nos mantermos na primeira divisão”, pede o goleiro Juninho.

Fora de campo, o clima não é nada bom no clube mineiro. Há mais de um mês sem presidente, o Galo não paga em dia seus funcionários – incluindo, naturalmente, os atletas. No início da semana, foram demitidos o diretor de futebol e o gerente das categorias de base, acusados, sem provas, de irregularidades na gestão.

Dentro de campo, Marcelo Oliveira segue firme no comando da equipe. Escalar o Atlético não tem sido uma tarefa fácil para ele, dado o desgaste dos jogadores. Em uma semana na qual vários titulares visitaram o departamento médico, o técnico perdeu para esta partida o zagueiro Marcos e o volante Rafael Miranda, que, apesar de reserva, é uma boa opção.

Para o meia-atacante Renan Oliveira, é hora de mostrar raça para defender a camisa alvinegra. “Neste momento difícil, todo esforço é válido. O desgaste no fim da temporada é grande e tudo que puder ser feito para minimizá-lo vale. A nós cabe trabalhar forte, mas também descansar bastante para chegar bem aos jogos que nos restam”, pensa.

Enquanto isto, o Inter quer desembarcar em Porto Alegre com algum ponto na bagagem. Voltar zerado de Belo Horizonte está fora de cogitação. O técnico Tite está convicto de que ainda existem chances de o clube ficar entre os quatro primeiros do Brasileirão e disputar a próxima Libertadores. Para isso, agarra-se no desempenho dos últimos dez jogos. São seis vitórias, três empates e somente uma derrota. “Vai depender de cada rodada. Não sei quantos pontos precisamos, mas é em torno de 19. Ambicionamos vencer o Atlético”, revelou o treinador.

O principal problema colorado está nos jogos fora de casa. Longe do Beira-Rio o desempenho deixa a desejar desde o início do campeonato. Agora, na reta final, todos querem mudar esta escrita.

O time que bateu os reservas do Boca no meio da semana pela Copa Sul-americana não poderá ser mantido. O zagueiro Índio e o lateral esquerdo Gustavo Nery, lesionados, não viajaram para a capital mineira. Na defesa, entra Danny Moraes. Álvaro seria uma opção, mas recuperou-se recentemente de um problema muscular e ficará no banco. Marcão entrará no lugar de Nery. Guiñazú segue de fora, seu retorno deve ocorrer diante do Náutico na próxima rodada, e Andrezinho permanece entre os titulares.

Três jogadores que não vinham sendo relacionados fazem parte do elenco para enfrentar o Atlético: o lateral direito Bustos e os atacantes Valter e Guto. A ordem é esquecer a vitória sobre os argentinos e voltar a pensar no Boca somente no próximo mês quando ocorre o confronto de volta pela Sul-americana.

“Temos que esquecer a vitória contra o Boca e temos que pensar no Brasileiro. O resultado da partida não terá nada a ver com o que aconteceu no Beira-Rio”, afirmou o volante Magrão, que mesmo tendo sofrido quatro pontos após o duelo contra os xeneizes vai para a partida diante do Galo.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG X INTERNACIONAL

Local:
Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 25 de outubro de 2008, sábado
Horário: 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola (Fifa-SP)
Assistentes: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Evandro Luís Silveira (SP)

ATLÉTICO-MG: Juninho; Sheslon, Leandro Almeida, Vinícius e César Prates; Serginho, Márcio Araújo, Elton e Renan Oliveira; Marques e Castillo
Técnico: Marcelo Oliveira

INTERNACIONAL: Lauro; Ângelo, Danny Moraes, Bolívar e Marcão; Edinho, Magrão, Andrezinho e D’Alessandro; Alex e Nilmar
Técnico: Tite


Leia mais sobre: Internacional Atlético-MG



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo