iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

23/10 - 18:06

Inédito aproveitamento nas finalizações tira o Vasco provisoriamente da lanterna
Números do ídolo Edmundo explicam o paradoxo das estatísticas vascaínas na competição

Redação iG Esporte e Footstats

RIO DE JANEIRO - Quebrando a série invicta do Goiás de oito jogos como mandante, o Vasco fez o que lhe é de maior dificuldade na competição: concluir suas jogadas. A equipe, dona da pior média de finalizações (11) na Série A, teve ontem o aproveitamento de 85% nas 7 finalizações criadas.

Embora a marca total de chutes ainda decepcione, o índice conquistado é muito superior aos 43% de acerto nos arremates obtidos no decorrer das 31 rodadas. O melhor exemplo do oportunismo vascaíno foi o artilheiro Edmundo que, em 3 chances, marcou por 2 vezes – uma delas de pênalti, sofrido pelo próprio atacante.

Aliás, a participação (ou a ausência) de Edmundo explica o paradoxo de um time que já foi o melhor ataque do Brasil - na 16° rodada -, contudo segue na última posição como o clube que menos chuta contra o gol adversário.

A verdade é que Edmundo está como melhor finalizador do Vasco tentando nada mais do que 2,3 vezes por partida e, até o momento, marcou 12 gols em 20 jogos, o que resulta na mesma média (0,60) de gols de um atacante como Alex Mineiro.

Se o Vasco quiser depender apenas de sua matemática terá que vencer 4 partidas nas próximas 7 rodadas. Vale lembrar que ao todo o time conseguiu vencer 8 jogos em 31 confrontos.

Veja abaixo o retrospecto do Vasco no primeiro turno contra seus próximos adversários na tabela:

Atlético 3x1 Vasco                          São Paulo 4x0 Vasco
Vasco 3x3 Fluminense                  Vasco 0x2 Coritiba
Santos 5x2 Vasco                           Vitória 5x0 Vasco
Vasco 6x1 Atlético Mineiro


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo