iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

20/10 - 14:21

Presidente do Fluminense irritado com arbitragem

“Quero deixar bem claro ao senhor Sérgio Corrêa que o Fluminense não é um timinho", disse Roberto Horcades

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - A arbitragem do gaúcho Leandro Vuaden no empate por 2 a 2 contra o Vitória, no Estádio Barradão no último domingo, tirou do sério a todos no Fluminense. A diretoria do clube carioca agora pretende abrir o olho com os trios de arbitragem que forem escalados para os próximos compromissos.

O presidente Roberto Horcades, um dos mais irritados com a atuação do árbitro, preferiu mandar um recado a Sérgio Corrêa, presidente da Comissão Nacional de Árbitros (Conaf), da CBF.

“Quero deixar bem claro ao senhor Sérgio Corrêa que o Fluminense não é um timinho. É um grande clube, com cento e seis anos de história, e que não vai ser rebaixado”, disse Horcades.

O dirigente fez severas críticas ao trabalho de Vuaden. “Esse árbitro finge que faz uma arbitragem com estilo europeu, deixando o jogo correr. Mas ele não pode deixar passar um abraço de urso como o que aconteceu contra o Vitória, que foi um pênalti claro. Se pensam que vão tirar o Fluminense da Primeira Divisão estão muito enganados”, afirmou o presidente tricolor, reclamando do primeiro pênalti sofrido por Washington.

Voz destoante no grupo tricolor, o técnico René Simões preferiu minimizar a importância da atuação do árbitro.

“Não gosto de ficar falando de arbitragem apesar dos erros cometidos. O jogo contra o Vitória não volta mais e agora temos que nos concentrar é nos próximos desafios que estão por vir”, disse René.

O próximo desafio do Fluminense será no próximo sábado, às 16h(de Brasília), contra o Palmeiras no Maracanã.. Com o empate na Bahia e os resultados da rodada, o Tricolor retornou para a zona de rebaixamento, agora com 31 pontos.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo