iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

19/10 - 20:19

Em clássico quente, Sport e Náutico ficam no empate
Pelo rubro-negro, Durval e Roger marcaram, enquanto Gilmar e Felipe fizeram os gols do alvirrubro no duelo

Gazeta Esportiva

RECIFE - Tudo que se pode esperar de um clássico aconteceu neste domingo, na Ilha do Retiro. Chances de gol, gols, expulsões, confusões e reclamações marcaram o empate de 2 a 2 entre Sport e Náutico, em partida válida pela 30° rodada do Campeonato Brasileiro.

Pelo rubro-negro, Durval e Roger marcaram, enquanto Gilmar e Felipe fizeram os gols do alvirrubro no duelo.

Com este resultado, a situação dos clubes na competição permanecem inalteradas. O Sport segue na 11° posição, só que agora com 41 pontos. Já o Náutico permanece na 16° colocação, com 31 pontos ganhos.

Na próxima rodada, o Leão da Ilha tem a difícil tarefa de enfrentar o líder Grêmio, na quinta-feira, às 20h30, no Estádio Olímpico. Já o Timbu faz um jogo de ameaçados pelo rebaixamento contra a Portuguesa. O confronto será realizado no sábado, às 18h20 (horário de Brasília), no Estádio dos Aflitos.

O jogo: Fazendo valer a sua condição de mandante do ˝ clássico dos clássicos ˝ o Sport tratou de tomar a iniciativa do jogo. Em 15 minutos, o rubro-negro já havia criado três oportunidades de gol, que levaram perigo ao gol de Eduardo.

Aos dois, Carlinhos Bala desceu pela direita e cruzou para Wilson, que mandou a bola por cima do gol. Com 10, Fumagalli fez a jogada e tocou para Wilson. No rebote, Roger chutou sobre o gol alvirrubro. Pouco depois, aos 13, Fumagalli assustou o Náutico ao cobrar uma falta da entrada da área. A bola passou sobre a barreira e muito próxima ao gol de Eduardo, que ainda voou tentando alcançá-la.

Depois da pressão inicial do Sport, a partida começou a ficar mais truncada, com as duas equipes mostrando excesso de vontade nas divididas. Com isso, o árbitro mineiro Alicio Pena Júnior teve trabalho para conter os ânimos. Sidny, do lado rubro-negro, além de Hamilton e Gilmar, pelo Náutico, foram advertidos com o cartão amarelo.

Explorando os contra-ataques, enquanto o Leão da Ilha se lançava ao ataque, o Timbu foi premiado com o gol. E ele saiu com 18 minutos. Após receber um bom passe, Willian foi até a linha de fundo pela direita e cruzou para Gilmar. Na grande área, o atacante mostrou tranqüilidade ao dominar a bola na coxa antes de finalizar rasteiro, com força, balançando as redes de Magrão: 1 a 0 para o Náutico.

Com o gol de Gilmar, o jogo ficou melhor para os comandados de Márcio Fernandes, que passaram a encaixar a marcação, dando pouco espaço para que o Sport trabalhasse a bola. Os donos da casa só voltaram a levar perigo ao rival com 30 minutos, quando Carlinhos Bala fez um levantamento para a área em cobrança de falta, procurando o zagueiro Durval. O defensor completou de cabeça para grande defesa de Eduardo.

Procurando igualar o confronto, os rubro-negros passaram a trocar passes mais rápidos, com o objetivo de chegar ao tento de igualdade no placar. Aos 36, quase o Sport chegou lá. Roger tabelou com Carlinhos Bala, que dentro da área fez o pivô para o centroavante. Pressionado pelo arqueiro adversário na hora da finalização, Roger ainda tocou na saída de Eduardo, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

Sofrendo com a pressão do seu oponente, o Náutico viu situação ficar mais complicada quando o técnico Roberto Fernandes foi expulso, por reclamação. O questionamento do treinador foi em razão de uma falta não marcada pelo juiz de Durval sobre Willian, em um contra-ataque do time dos Aflitos.

Com o clima quente na Ilha do Retiro, o Leão partiu para um esforço final antes do intervalo, em busca do empate. E a pressão deu resultado. Aos 48, Roger partiu para cima da marcação e tentou o arremate, que foi desviado no meio do caminho. Carlinhos Bala tentou aproveitar o lance, mas a bola sobrou para Durval. O zagueiro não desperdiçou a oportunidade e deixou tudo igual no placar.

Sem alterações nas duas equipes, o maior ânimo dos mandantes do clássico fez a diferença no início da etapa complementar. Aos dois minutos, o atacante Roger aproveitou-se de uma falha do zagueiro Vagner Silva, para dominar a bola e colocá-la no ângulo, decretando a virada do Sport no marcador.

Quando a situação parecia ficar sob controle dos donos da casa, os visitantes resolveram reagir. Aos 14, o meia Willian fez uma grande jogada, limpando dois zagueiros adversários e tocando para Felipe, que praticamente só teve o trabalho de mandar a bola para o fundo do gol.

Logo em seguida, o rubro-negro ficou com um homem a menos. O artilheiro do Leão da Ilha, Roger, foi expulso por simular um penalti. A partir do segundo tento do Náutico, o ritmo do jogo ficou mais calmo. Insatisfeitos com isso, os treinadores dos dois clubes resolveram alterar seus times. Pelo rubro-negro, Luciano Henrique e Júnior Maranhão entraram nas vagas de Fumagalli e Wilson, respectivamente. No alvirrubro, Gilmar e Derley saíram para as entradas de Paulo Santos e Ticão.

Apesar da grande disputa e da vontade dos jogadores das duas equipes, pouco foi criado e o placar permaneceu o mesmo até o final na Ilha do Retiro.


Leia mais sobre: Náutico Sport Brasileirão



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo