iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

15/10 - 10:20

Segundo Jô, Sanchez e vice de Dualib viabilizaram sua carreira

Cotado para ser titular da seleção brasileira no Rio de Janeiro, atacante lembrou de seu início como jogador de futebol

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - O presidente Andrés Sanchez e o ex-vice-presidente Nesi Curi, que seguiu Alberto Dualib e renunciou ao quadro de sócios do Corinthians para evitar uma vexatória expulsão, são os padrinhos da carreira do atacante Jô, atualmente no Manchester City, da Inglaterra, e na seleção brasileira. É o próprio jogador quem reconhece a importância da dupla para a sua carreira.

De chinelos de dedo e com o uniforme de treino da seleção brasileira, Jô está no Rio de Janeiro para defender o país contra a Colômbia nesta quarta-feira, no Maracanã. Aos 21 anos, ele já é um dos atletas mais assediados entre os convocados pelo técnico Dunga. “Quero falar com o Jô. Cadê ele?”, perguntava aos gritos um rapaz, desesperado, diante do hotel onde a equipe se concentrou.

Espontaneamente, Jô condicionou o sucesso de sua trajetória, ao conceder entrevista no saguão do prédio: “Devo muito ao Andrés Sanchez, que hoje é presidente e foi fundamental para a minha subida aos profissionais do Corinthians. O Nesi Curi também me ajudou muito. Sou grato a eles dois”.

Recentemente, o atacante revelado no Parque São Jorge se transferiu do russo CSKA ao Manchester City por cerca de R$ 57 milhões. A negociação garantiria aproximadamente R$ 5,7 milhões ao Corinthians – se Andrés Sanchez não tivesse vendido os 10% dos direitos econômicos que cabiam ao clube brasileiro para o empresário Giuliano Bertolucci, ligado ao ex-representante da MSI Kia Joorabchian.

Em entrevista concedida à Gazeta Esportiva em setembro, Carla Dualib, neta do ex-presidente Alberto Dualib e antiga responsável pelo marketing do Corinthians, reafirmou que a MSI tentou comprar seu apoio à parceria estabelecida com o clube através da cessão dos direitos econômicos de Jô. Ao comentar o lucro obtido por Giuliano Bertolucci com o jogador, ela reagiu: “Curioso, né? Muito bonita essa história. Na hora em que eu soube, falei: ‘Nooooossa, cara’. Para quem está por dentro da situação, tudo fica muito claro”.

Antigo aliado de Nesi Curi no departamento amador do Corinthians, Andrés Sanchez se irritou com as críticas que recebeu à época da transferência de Jô. Hoje, conta com a gratidão do atacante do Manchester City, mesma equipe dos também brasileiros Elano e Robinho.

Do atual elenco do Corinthians, poucos são os jogadores com quem Jô se relaciona. “Só falo com o Júlio César, que é goleiro reserva, e com o Fabinho, que saiu do clube e voltou agora”, disse o atacante, satisfeito pelos resultados obtidos durante a gestão de Andrés Sanchez. “Fiquei muito triste quando o Corinthians caiu para a Série B, mas agora estou feliz por saber que o clube está se reestruturando.”

O técnico Dunga deverá escalar Jô como titular da seleção brasileira contra a Colômbia. Adriano está suspenso, e Alexandre Pato sequer foi reserva na goleada por 4 a 0 sobre a Venezuela, na rodada passada das Eliminatórias para a Copa do Mundo.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo