iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

15/10 - 09:15

"Queriam 'matar um morto'", afirma conselheiro sobre Dualib
Presidente do Conselho Deliberativo do Corinthians, Carlos Senger conta detalhes da saída definitiva de Dualib do clube

Por Renan Rodrigues, do iG Esporte

Acordo OrtográficoSÃO PAULO - Sócio do Corinthians há mais de 40 anos, ele esteve presente na renúncia do ex-presidente Alberto Dualib, na queda do clube para a segunda divisão e até no mandato do mítico ex-presidente Vicente Matheus. O advogado Carlos Senger, presidente do Conselho Deliberativo do Corinthians até 2012, conta em entrevista exclusiva para o iG Esporte os bastidores do desligamento de Dualib, a reformulação pelo qual o clube passa, além de outros assuntos. Confira a entrevista abaixo:

O Sr. ficou surpreso com a renúncia do Dualib antes da eleição que definiria o desligamento dele e de Nesi Curi? O conselho imaginava que ele não fosse querer passar por isso?
É um direito dele como associado. A torcida queria ‘matar um morto’, pois ele já não possuía nenhuma ligação com o clube e não existe nenhuma possibilidade de retornar ao mesmo. Ele é quem pediu o desligamento do quadro social. O mandato de Dualib teve seus acertos e seus erros, mas a questão é que numa massa passional como é o Corinthians, cometer um erro como foi o dele é suicídio.

Passado quase um ano após o rebaixamento do Corinthians o clima é totalmente diferente no clube, hoje?
O clima realmente é de boa perspectiva. São outras pessoas, mais idéias e uma mescla de jovens com muita vontade aliada a experiência dos mais velhos. O Corinthians é uma preocupação constante. Não somos só um clube. Somos uma agremiação, uma idéia, uma ‘loucura’ de praticamente 30 milhões de simpatizantes. Nós somos um fenômeno psíquico-coletivo. Ninguém consegue explicar. Quem está fora, obviamente quer ver o clube bem organizado.

O vice-presidente de futebol do Corinthians, Mário Gobbi Filho, afirmou recentemente que pretende se desligar do cargo ao final do ano por estar "desiludido com o mundo do futebol". Que motivos ele teria para isso? O Sr concorda com essa atitude?
O Mário é uma excelente pessoa, ele não pode pensar assim. O mundo do futebol sempre foi complicado. Você lida com pessoas e com negócios, e nos negócios entra dinheiro e vaidade. É normal isso. Nós como administradores, temos que ter a inteligência de dosar e contornar tudo isso. É por isso que estamos lá.

Quando assumiu, Andrés Sanchez afirmou que faria apenas o mandato ‘tampão’, e não tentaria a reeleição da presidência do clube. Hoje ele é candidato oficial para as eleições que serão realizadas em fevereiro. O Sr concorda com a atitude dele?
A verdade é que o clube passou por momentos muito difíceis. É claro que esses momentos não foram nada agradáveis e faz gerar até um desestimulo em quem assume. Cria-se uma situação que não é a ideal para ninguém assumir o mandato. Ele levantou uma bandeira, inovou o Corinthians e é justo que seja candidato. Ele tem legitimidade mais que suficiente para prosseguir.

A renovação com o técnico Mano Menezes é a prioridade para o clube manter a boa campanha no próximo ano?
Com certeza. Ele está fazendo um trabalho lindo e é uma nova mentalidade no futebol brasileiro. É um cara integro. O futebol atualmente é muito mais conjunto, e ele conseguiu isso aqui. Ele realizou um ótimo trabalho.

A questão do empréstimo de R$ 600 mil do empresário Carlos Leite para o Corinthians não deixou uma má impressão num clube que tenta apagar os problemas de corrupção?
É uma questão totalmente diferente. Na verdade o futebol como negócio mudou muito em relação ao passado. O futebol é uma atividade muito mais cara. Nenhum clube consegue mais se manter com renda de estádio. Você tem que ter publicidade, marketing, vender alguns jogadores. Fazer negócio com um e com outro é, além de normal, necessário. É só pegar o exemplo do Palmeiras que fez aquela ‘bolsa de atletas’ e a parceria com a Traffic. O Mano é muito integro e isso não atrapalharia em nada o elenco.

A ‘Timão TV’ foi lançada com a expectativa de ser uma nova fonte de renda para o clube, com a exibição de conteúdo exclusivo para assinantes pela internet, mas acabou não conseguindo grande adesão. O projeto foi um fracasso?
Acredito que o projeto deveria ser recomposto e reestruturado. É necessário vendê-lo de outra forma, com mais material ao vivo e conteúdo exclusivo. Assim, até outras pessoas que não torcem pelo clube poderiam comprar. Todo mundo tem curiosidade de saber como é a conversa de um técnico com o elenco, os bastidores.
As agremiações têm que se aprimorar ou vão acabar falindo. Se você tem, hipoteticamente falando, 30 milhões de consumidores fanáticos, você tem que explorar isso.

A situação financeira do Corinthians era bastante delicada no início da gestão do Andrés, mesmo assim, foram 29 jogadores contratados neste ano. O clube não está correndo um risco alto para montar este elenco?
O clube tem seus objetivos bem traçados. A subida para a série A era essencial e todos sabem disso. Não tem jeito, a brincadeira é cara mesmo e você tem que correr seus riscos. Ninguém sabe o que vai acontecer amanhã, mas hoje existe planejamento no Corinthians.
O Vicente Matheus, por exemplo, não seria um bom gestor hoje. A gestão nova está aproveitando com competência o momento novo dos negócios no futebol.

Muitos fazem a comparação entre o atual time do Corinthians e os clubes da série A. Se estivesse na primeira divisão com esse elenco, o Sr acredita que o Corinthians estaria brigando pelo rebaixamento ou pelo título?
Acredito que faria bonito sim. Não imagino que correria algum risco de ser rebaixado. As equipes estão muito niveladas no futebol brasileiro atualmente, e, com uma boa seqüência de vitórias em casa, talvez até pudesse brigar pelo título. O campeonato é por pontos corridos, e nosso técnico já mostrou que é muito bom nesse tipo de disputa no Grêmio, e agora, pelo Corinthians.

O que aconteceu na final da Copa do Brasil deste ano? Mesmo a grande vantagem conquistada na primeira partida, o que faltou para o Corinthians ser campeão?
Era apenas o início do trabalho do Mano. Foi até surpresa o clube chegar bem próximo do título. Naquela época ainda faltavam algumas peças no time. O Douglas, Morais, Cristian, esses jogadores tem sido muito importantes para a equipe.

As últimas tentativas de construir o estádio do Corinthians acabaram no papel. Existe algum novo projeto em andamento, ou mesmo a possibilidade de o Pacaembu ser arrendado?
Quem está cuidando dessa questão é o vice-presidente Heleno Maluf. Claro que o que mais desejamos é a ‘casa própria’, mas essa é uma questão muito complicada, exige muita negociação. Só o Corinthians não tem como realizar a construção de um estádio.

Em 2010 o Sport Club Corinthians Paulista completa 100 anos. Existe algum projeto ou algo especial preparado para o ano do centenário?
No início de 2009 será nomeada uma comissão para cuidar de todos os detalhes do centenário e marcar essa data tão importante com algo à altura da agremiação.


 


Leia mais sobre: Corinthians Carlos Senger Alberto Dualib



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Renan Rodrigues

Bastidores do Timão
'Vicente Matheus não seria um bom gestor hoje', afirma presidente do conselho corintiano

Topo