iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/10 - 18:14

Atlético de Madri diz que torcida não promoveu manifestações racistas

Uefa anunciou interdição do estádio por duas rodadas da competição continental por incidentes contra Marselha

EFE

MADRI (Espanha) - O Atlético de Madri negou que seus torcedores tenham promovido manifestações racistas na partida contra o Olympique de Marselha, no estádio Vicente Calderón da capital espanhola, pela Liga dos Campeões.

A Uefa anunciou a interdição do estádio por duas rodadas da competição continental, além de uma multa de 150 mil euros, pela má organização da partida e pela conduta antiesportiva e imprópria de seus torcedores.

Em comunicado, o clube afirmou que as punições são injustas e desproporcionais. "Os gritos denunciados pelos membros do clube francês foram confundidos provavelmente com os cantos que a torcida do Atlético dedica ao atacante argentino Sergio Agüero (apelidado de Kun), com o som de 'Kun, Kun, Kun'. Desta forma, os jogadores franceses podem ter confundido este com o emitido pelos macacos", disse a nota.

Em relação à suspensão do técnico do Atlético, o mexicano Javier Aguirre, o comunicado disse que as supostas ofensas a jogadores do Olympique não aconteceram.

"Estes insultos não aconteceram em nenhum momento, como fica patente no ata dos delegados designados para a partida e do quarto árbitro que, em nenhum momento, mencionam em seus relatórios tais circunstâncias", afirmou.


Leia mais sobre: Atlético de Madri racismo no futebol



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo