iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

10/10 - 22:24

Rivais históricos, Furacão e Flu fazem ‘jogo dos desesperados’

As duas equipe correm sério risco de rebaixamento e só pensam na vitória

Gazeta Esportiva

CURITIBA - Durante alguns anos uma rivalidade história entre Atlético Paranaense e Fluminense se construiu dentro do Campeonato Brasileiro. Nesta edição, mais um capítulo deve ser escrito neste sábado, às 18h20 (de Brasília), na Arena da Baixada. Desesperados na luta contra o rebaixamento, os times sabem que uma derrota poderá complicar definitivamente a campanha, e abrir um caminho sem volta para a Série B.

Lanterna com 27 pontos, o Fluminense entra em campo disposto a trocar de lugar com o adversário que, apesar de ter apenas um ponto a mais que o Tricolor, se encontra fora da zona da degola.

A partida marcará a estréia do técnico René Simões no time das Laranjeiras. Ele vai substituir Cuca, demitido após o empate por 1 a 1 com o Goiás. O novo treinador considera o duelo contra os rubro-negros fundamental para o seu sucesso à frente do time carioca.

“Dizem que tenho dez jogos para mostrar que sou bom para o Fluminense. Mas no meu entender tenho apenas um jogo, o deste sábado contra o Atlético Paranaense. Se perdermos, a situação vai ficar ainda mais complicada e por isso precisamos de um resultado positivo, o que vai mudar o astral de todos e aumentar a confiança dos jogadores”, filosofou o comandante, que ficou uma semana com o elenco concentrado em Itu (SP).

Os jogadores concordam com o novo chefe e também consideram a partida deste sábado uma verdadeira decisão. E garantem que o treinador terá motivos para se orgulhar do novo plantel após a partida em Curitiba.

“O Fluminense está nesta situação delicada porque nós, jogadores, o colocamos lá. Portanto, apenas nós poderemos mudar esse quadro e mostrar para o professor que ele acertou ao confiar no nosso elenco. Vamos encarar essa partida como se fosse a grande decisão do Brasileiro, o que de fato é verdade para a nossa equipe. Com muita garra e suor, com certeza vamos retornar ao Rio de Janeiro com três pontos”, afirmou o goleiro Fernando Henrique.

Para esta partida, Renê promoveu mudanças em relação ao time que vinha atuando com Cuca. O volante Fabinho e o atacante Everton Santos ganharam as vagas de Wellington Monteiro e Ciel, respectivamente. O meia Darío Conca reclamava de uma tendinite no tornozelo esquerdo, mas treinou bem na sexta-feira e vai para o jogo. Desfalque certo é o zagueiro Thiago Silva, servindo à seleção brasileira. Com isso, Edcarlos formará dupla com Luiz Alberto, já recuperado de estiramento na coxa.

Pelo lado do Atlético-PR o técnico Geninho também reconhece o caráter decisivo da partida e por isso decidiu pedir o apoio dos torcedores. A expectativa de ver a Arena da Baixada lotada é estimulada pelo treinador, que pretende ver os rubro-negros das arquibancadas atuando juntamente com o time.

“O sistema de pontos corridos faz com que a gente tenha uma final por rodada. Infelizmente estamos brigando na parte de baixo da tabela e precisamos mais do que nunca do apoio dos nossos torcedores. Temos que lotar a Arena e empurrar os jogadores durante 90 minutos. Se ganharmos em casa, temos grandes chances de afastar de vez o risco de rebaixamento”, convocou o treinador.

Preocupado e tentado aproveitar o fator casa, Geninho já testou algumas mudanças durante a semana. Porém, a escalação oficial ainda depende da recuperação completa de dois jogadores fundamentais para seu esquema: o ala Netinho e o atacante Rafael Moura. Ambos participaram parcialmente dos trabalhos durante a semana, mas seguem como dúvidas.

No ataque, a principal opção é Pedro Oldoni, que pode seguir como titular. Seu companheiro deve ser Joãozinho, que voltaria a ser titular após um alongo período tratando uma lesão. Neste caso, ficaria com a vaga do colombiano Ferreira, que serve à seleção de seu país. Na defesa Rhodolfo perdeu espaço para o experiente Gustavo, homem de confiança do treinador.

O zagueiro sabe de sua responsabilidade em campo e promete liderar o Furacão numa cruzada rumo a dias mais calmos na competição. “Nunca fugi das responsabilidades. Serei cobrado tanto ou mais do que os outros. Nesse momento todo mundo tem que ser um pouco líder e não apenas um jogador representando todo mundo. Na situação em que estamos o grupo tem que ser unido e cada um assumir uma responsabilidade”, analisou.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR X FLUMINENSE

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 11 de outubro de 2008, sábado
Horário: 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Assistentes: Julio Cesar Rodrigues Santos e Jose Javel Silveira (ambos do RS)

ATLÉTICO-PR: Gallato; Danilo, Antônio Carlos e Gustavo; Renan, Chico, Valência, Kelly e Márcio Azevedo (Netinho); Pedro Oldoni e Joãozinho (Rafael Moura)
Técnico: Geninho

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Carlinhos, Edcarlos, Luiz Alberto e Júnior César; Fabinho, Romeu, Arouca e Conca; Everton Santos e Washington
Técnico: René Simões


Leia mais sobre: Fluminense Atlético-PR Campeonato Brasileiro



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo