iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/10 - 14:18

Histórico de rivalidade contra Atlético-PR não altera Fluminense

Assim como o Fluminense, atleticanos, com 28 pontos, também estão seriamente ameaçados de rebaixamento

Gazeta Esportiva

CURITIBA - Atlético-PR e Fluminense irão se enfrentar neste sábado na Arena da Baixada, em jogo às 18h20 (horário de Brasília) válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. E mesmo estando afastados pelos mais de 850 quilômetros que separam Curitiba e Rio de Janeiro, os dois clubes têm proporcionado uma rivalidade bastante crescente desde a década de 90.

Exemplos não faltam. Em 1996, no ano do primeiro rebaixamento do Fluminense para a Série B do Brasileirão, o confronto entre os dois no estádio das Laranjeiras terminou em pancadaria. Na ocasião, o goleiro Ricardo Pinto – então no Furacão e com passagem pelo Tricolor –deixou o campo diretamente para o hospital, após receber várias pancadas na cabeça. Em campo, o Furacão venceu por 3 a 2.

Na rodada final, os paranaenses (que já estavam classificados para as quartas-de-final do Brasileirão daquele ano) foram derrotados pelo Criciúma por 2 a 1 em plena Arena da Baixada. O resultado ajudou a definir a queda do Fluminense, que venceu o Vitória por 3 a 1 no Barradão, mas que caiu junto com o Bragantino. Antes do jogo frente ao Criciúma, o hoje técnico Ricardo Pinto, ainda com a cabeça ainda imobilizada, deu uma volta olímpica ao redor do estádio curitibano.

Desde então, rubro-negros e tricolores ainda se enfrentaram em algumas partidas importantes. Como em 2001, quando o Fluminense foi eliminado pelo Atlético-PR nas semifinais do Campeonato Brasileiro com uma derrota por 3 a 2 – Alex Mineiro, hoje no Palmeiras, marcou três vezes, enquanto Magno Alves descontou com dois gols. O Furacão se sagraria campeão brasileiro naquele ano, derrotando o São Caetano na grande decisão.

Neste sábado, passados quase sete anos, o jogo também tem caráter decisivo, pois os atleticanos, com 28 pontos, também estão seriamente ameaçados de rebaixamento. Apesar disso, os atletas tricolores – que estão entre os quatro piores times da competição – garantem que não existe clima de guerra como o que havia em 1996.

“Vamos preparados para uma partida de futebol. Muito importante, é verdade, mas que será definida apenas dentro de campo, com o vitorioso sendo aquele que conseguiu se comportar melhor e aproveitou os erros do adversário. Não estamos pensando em batalha, guerra e nada disso, pois estamos falando de esporte. Os dois times precisam vencer e isso dá um caráter decisivo, mas não queremos de maneira nenhuma um clima de guerra ou algo parecido”, assegurou o zagueiro Luiz Alberto, capitão do Flu.

No primeiro turno do Campeonato Brasileiro deste ano, as duas equipes se enfrentaram no Maracanã, no Rio de Janeiro. Naquela ocasião, o Fluminense venceu por 3 a 0, com gols de Dodô, Darío Conca e Somália. A vitória de 9 de julho, entretanto, não tirou o Flu da lanterna do Brasileirão, mas derrubou o Furacão, então oitavo, para o 12º lugar da tabela de classificação.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo