iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

03/10 - 10:37

'Não sairei', diz interventor da federação polonesa
Fifa ameaçou punir entidade caso antiga diretoria não retome seus cargos

Trivela.com

VARSÓVIA (Polônia) - A situação na federação polonesa (PZPN) promete se complicar nos próximos dias. Donald Tusk, primeiro-ministro do país, afirmou nesta sexta-feira que apóia a decisão de Miroslaw Drzewiecki, ministro dos Esportes, sobre a nomeação de um interventor para a entidade. E o próprio administrador disse que não deixará o cargo.

Tanto a Uefa como a Fifa manifestaram seu repúdio à nomeação de Robert Zawlocki para chefiar a PZPN. A diretoria da federação foi afastada nesta semana sob a acusação de não combater a corrupção no futebol do país.

A Fifa estabeleceu a segunda-feira como prazo final para a antiga direção retomar seus cargos. Do contrário, a PZPN corre o risco de ser suspensa. Caso isso ocorra, a seleção seria diretamente afetada, pois a equipe entra em campo nos dias 11 e 15 para enfrentar República Tcheca e Eslováquia, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo-2010.

Além disso, a Polônia está seriamente ameaçada de perder o direito de organizar a Eurocopa-08. Como se não bastasse essa polêmica, o país já passa por problemas com a infra-estrutura necessária para a competição, que será realizada em conjunto com a Ucrânia.

“Apóio a decisão de Drzewiecki neste assunto. Às vezes, uma postura dura é necessária, sob o risco de se pagar um alto preço. Tenho certeza de que Drzewiecki não demitirá Zawlocki”, afirmou Tusk, em entrevista coletiva.

O próprio interventor disse que não deixará o cargo. “Apenas posso dizer que não sairei. Fui nomeado pelo tribunal arbitral [do comitê olímpico polonês] e apenas o órgão pode me demitir”, comentou zawlocki.

Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo