iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/10 - 13:27

Ministro promete solucionar crise no esporte da Polônia
O ministro se encontrou hoje com representantes da federação polonesa e voltará a fazer o mesmo na sexta

EFE

VARSÓVIA (Polônia) - O ministro de Esportes da Polônia, Miroslaw Drzewiecki, disse hoje que a prioridade de sua gestão é solucionar todos os problemas que assolam o setor no país. Em discurso no Parlamento polonês, Drzewiecki afirmou que sua intenção é fazer com que as instituições esportivas polonesas respeitem a "legislação" local.

O ministro se encontrou hoje com representantes da federação polonesa e voltará a fazer o mesmo amanhã, com o objetivo de encontrar uma saída à crise gerada após o ultimato da Fifa.

O suíço Joseph Blatter, à frente do organismo, ameaçou eliminar a Polônia dos próximos jogos das Eliminatórias à Copa do Mundo de 2010 se a federação não resolver seus problemas até a próxima segunda - o que inclui a saída do administrador nomeado a pedido do Ministério para substituir a diretoria anterior.

Drzewiecki justificou a vinda de Robert Zawlocki após constatar "muitas violações da lei e pouca eficiência na luta contra a corrupção no futebol polonês".

A corrupção é um dos maiores problemas que atacam o futebol polonês. Cerca de 120 pessoas, entre treinadores, árbitros e dirigentes, são investigadas por supostos subornos e outras atividades ilegais.

O ministro também anunciou eleições na federação polonesa para o próximo dia 30 de outubro.

"Respeito a independência das federações esportivas, mas todas devem funcionar de acordo com a lei. Por isso gostaria que cada presidente fosse eleito desta forma", completou Drzewiecki.

Para a Uefa e a Fifa, a antiga diretoria é a única "com autoridade para administrar o futebol na Polônia e representá-lo em nível internacional".

A situação complica ainda mais o país nas pretensões de sediar a Eurocopa de 2012, que organizaria junto à Ucrânia.

Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo