iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/10 - 13:17

Cuca: "Não sei mais o que fazer. Estou no limite"
Ao todo, o Fluminense soma 23 rodadas na zona de rebaixamento, das 28 já disputadas no Brasileirão

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - O empate do Fluminense por 1 a 1 com o Goiás nesta quarta-feira, apesar de ter tirado o time provisoriamente da lanterna do Campeonato Brasileiro, parece ter acabado com a paciência do técnico Cuca. Sem vencer há mais de 40 dias, nos quais foram disputadas sete rodadas, o treinador não encontrou palavras para explicar por que, mais uma vez, a equipe deixou escapar uma vitória no Maracanã.

“É difícil explicar por que. Você vai começar o jogo e começa muita chuva. E hoje perdemos gols inacreditáveis, tipo três contra o goleiro, como hoje e perdemos o gol. E aí até sem o goleiro conseguimos perder o gol, quando a bola foi cruzada dentro da área, só para por para dentro e não conseguimos”, disse o treinador.

Cuca não nomeou jogadores, mas se referia ao atacante Ciel, que teve algumas oportunidades de deixar o Tricolor carioca na frente do placar, mas desperdiçou ora nas mãos do goleiro Harlei, ora finalizando errado. O Fluminense ainda atuou em boa parte do tempo com um homem a mais em campo: Fredson e Fernando receberam o vermelho no Goiás, e Maicon foi expulso pelo time anfitrião.

"Quando o Goiás ficou com nove em campo, eles marcavam atrás da linha do meio-de-campo. Aí você pega a bola na intermediária e já enfia, por isso jogamos com os alas bem abertos no lado, com dois homens enfiados na frente. O goleiro fez boas defesa, mas você vai fazer o que? Foram 19 finalizações nossas, e o Goiás deu só quatro e quase fez o gol no fim. Não tem o que justificar, tem que arrumar solução para sair da situação”, continuou o comandante.

Ao todo, o Fluminense soma 23 rodadas na zona de rebaixamento, das 28 já disputadas no Brasileirão. Faltam apenas 10 jogos e, ainda muito fundo na tabela, o técnico Cuca reconheceu: não sabe mais o que fazer para tirar a equipe dessa situação. Mesmo tendo assumido o time já em situação ruim, o desespero ficou a mostra na coletiva após o jogo.

“Eu estou dando meu máximo, estou no meu limite. Você não vai me ver sorrindo nessa situação, é o meu jeito. O que adiante criticar isso ou aquilo e passar uma raiva para vocês, aí eu pioro situação do fluminense. Melhora a minha um pouco, mas vamos assimilar o golpe. Eu assumo a culpa, O pedaço maior é o meu.”

“ Já são sete jogos sem vencer e faltam 10. Eu estou no meu limite, não sei fazer mais do que estou fazendo. O torcedor tem todo direito e pode reclamar, como comandante, a culpa maior é minha. Respondo por isso. Ainda que tenha pego o barco andando, eu respondo por isso”, completou o técnico, que agora prepara o elenco para mais uma batalha na tentativa de escapar da degola, contra o Atlético-PR, em 11 de outubro.


Leia mais sobre: Fluminense Cuca Brasileirão



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Photocamera

Cuca está desesperado
O empate contra o Goiás tirou o Flu da lanterna, mas o time segue na zona de rebaixamento

Topo