iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

30/09 - 15:26, atualizada às 18:43 30/09

Real sofre em São Petersburgo, mas passa por Zenit e segue 100%
Em um jogo bastante equilibrado, o Real contou com uma grande atuação do meia Rafael van der Vaart para vencer

Gazeta Esportiva

  • Veja como foi a rodada de terça da Liga clicando aqui

SÃO PETESBURGO (Rússia) - A primeira pedreira da temporada foi superada pelo Real Madrid. Mesmo fora de casa, os atuais campeões espanhóis superaram nesta terça-feira o forte russo Zenit por 2 a 1, pela segunda rodada da Copa dos Campeões da Europa, e deram um passo importante rumo à classificação para a próxima etapa do principal torneio interclubes do Velho Continente.

Em um jogo bastante equilibrado em São Petersburgo, o Real contou com uma grande atuação do meia holandês Rafael van der Vaart para sair da Rússia com os três pontos. O camisa 23 arquitetou o primeiro gol merengue, marcado contra pelo zagueiro eslovaco Tomas Hubocan, também o segundo, conferido pelo compatriota Ruud van Nistelrooy.

O gol do Zenit foi conferido pelo meia português Danny, contratado no início da temporada por nada menos do que € 30 milhões junto ao Dynamo Moscow. O lusitano deixou a sua marca após receber cruzamento do meia Andrei Arshavin.

Com o resultado, o Real chegou aos seis pontos ganhos – havia batido na primeira rodada o bielo-russo Bate Borisov por 2 a 0 no Santiago Bernabéu – e manteve a frente do grupo H. O Zenit, que perdera para a Juventus em Turim na estréia por 1 a 0, permaneceu sem pontuar.

Ainda nesta terça, a partir das 15h45 (de Brasília), a segunda rodada da chave H da Champions League é encerrada com o duelo entre Bate e Juventus, na cidade de Minsk, na Bielo-Rússia.

Real e Zenit voltam a campo pela Copa dos Campeões apenas dentro de três semanas, no dia 21 de outubro (também terça-feira). Os merengues terão pela frente o clássico europeu contra a Juve em Turim, enquanto os russos atuam novamente em São Petersburgo, mas contra o Bate Borisov.

O astro Arshavin, do Zenit, não conseguiu marcar contra o Real


O jogo
Apesar das declarações de que teria uma missão complicadíssima para conseguir trazer os três pontos de São Petersburgo, o Real Madrid começou a partida sem tomar conhecimento dos donos da casa.

A equipe espanhola foi para cima do Zenit e conseguiu seu primeiro lance de perigo já aos dois minutos, quando o atacante holandês Ruud van Nistelrooy cruzou na grande área e encontrou Higuaín. Sozinho, o argentino cabeceou forte e obrigou o goleiro Vyacheslav Malafeev se esticar para espalmar de mão trocada para escanteio.

O Real Madrid continuou tirando proveito do mau posicionamento inicial do Zenit no início de partida e manteve a pressão. O gol dos visitantes, desta forma, não tardou a sair: aos quatro minutos, o meia holandês Rafael van der Vaart cruzou rasteiro na grande área e viu o zagueiro adversário Tomas Hubocan pegar de canela na tentativa de mandar para escanteio e acabou marcando contra, abrindo o placar para os espanhóis.

Consistente pelos ataques sobretudo aqueles construídos no lado direito de seu setor ofensivo, o time comandado por Bernd Schuster ainda teve mais uma boa chance de chegar ao gol aos sete minutos. Após rápida triangulação no ataque, o atacante Gonzalo Higuaín deixou Van Nistelrooy em boas condições na grande área, mas o centroavante holandês acabou pegando mal na bola e mandando por cima.

Passados os dez minutos de pressão dos madrilenos, o Zenit conseguiu se encaixar sua marcação, passou a controlar o meio-campo e, conseqüentemente, obteve seus primeiros lances de perigo no jogo.

O clube de São Petersburgo teve suas melhores jogadas aquelas construídas pelo setor esquerdo de seu ataque e que, também, passavam pelos pés da dupla Andrei Arshavin e Danny. Aos 19 minutos, inclusive, os dois trocaram passes com tranqüilidade dentro da grande área e por pouco não viram a defesa rival se complicar.

Pouco a pouco, o Zenit continuou ganhando espaço no ataque até chegar ao gol de empate aos 24 minutos. Após falha de marcação da zaga do Real Madrid, Arshavin recebeu livre pela esquerda, levantou na grande área e o português Danny desviou sem problemas na pequena área, igualando o marcador.

O gol dos russos fez o Real despertar do cochilo e voltasse a tomar iniciativas ofensivas. Logo depois da saída de bola, inclusive, Van der Vaart arriscou forte da entrada da área e Malafeev espalmou o perigo.

O holandês camisa 23, que chamou para si a responsabilidade e passou a coordenar as jogadas ofensivas madrilenas, ainda construiu o segundo gol do Real aos 30 minutos. Van der Vaart arriscou mais uma vez de fora da área e, após o desvio na zaga, o compatriota Van Nistelrooy mostrou oportunismo para pegar a sobra e chutar cruzado, sem chances para o arqueiro russo.

Nos 15 minutos finais do primeiro tempo, o Real Madrid ainda teve mais duas boas chances, ambas nascendo da mesma forma: lançamento de Van der Vaart nas costas da defesa para Higuaín. Em uma o argentino chutou forte por cima do gol, mas na segunda não alcançou a bola, que acabou nas mãos de Malafeev.

Pressão russa
O segundo tempo foi morno durante os 20 primeiros minutos, com poucos lances de ataque e muita disputa no meio-campo. Os primeiros lances de perigo só não se transformaram em gol do Zenit graças ao goleiro Iker Casillas, que defendeu em menos de dois minutos uma cabeçada de Hubocan e um chute de longe do lateral-esquerdo eslovaco Radek Sirl.

Aproveitando a iminência do gol de empate, o técnico holandês Dick Advocaat colocou sua equipe mais à frente: sacou o zagueiro Hubocan e o atacante Progrebnyak e colocou dois jogadores de dois atacantes: o argentino Alejandro Domínguez e o turco Fatih Tekke.

E foi Domínguez o responsável por construir a principal chance de ataque do Zenit no segundo tempo. O argentino camisa 7 disparou pela esquerda e rolou na grande área para Arshavin, mas o meia acabou carimbando a trave esquerda de Casillas.

O Real, enquanto isso, continuou insistindo nas jogadas em profundidade nas costas da defesa russa e forçando a corrida de Higuaín. Na melhor delas, o jovem argentino ex-River Plate conseguiu entrar sozinho na grande área, mas teve a finalização bloqueada pelo goleiro.

Danny teve aos 46 minutos do segundo tempo a chance de conseguir o desejado empate para o Zenit. O português, que recebeu com liberdade uma bola rasteira na grande área, chutou forte. O zagueiro Pepe se esticou para bloquear o chute e mandar a bola para escanteio, salvando o Real Madrid, que pouco depois comemorou o triunfo no apito final do árbitro Massimo Bussaca.


Leia mais sobre: Real Madrid Zenit Liga dos Campeões



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Reuters

Merengues 100%
Nistelrooy anotou o gol da vitória do Real Madrid no difícil duelo contra o Zenit, na Rússia

Topo