iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

29/09 - 08:37

Peixe rechaça dependência de Kléber Pereira e elogia André Luis

Goleiro da Portuguesa saiu da Vila Belmiro com o status de principal destaque, mesmo com o artilheiro em campo

Gazeta Esportiva

SANTOS - O atacante Kléber Pereira deu mais mostras de porque é o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 19 gols, neste domingo, no empate em 1 a 1 com a Portuguesa. Atuando na Vila Belmiro, onde marcou 18 vezes, o jogador conseguiu balançar as redes de novo, mas encontrou um adversário a altura sob a meta rival: o goleiro André Luis.

Só no segundo tempo, depois de limpar um zagueiro e bater de esquerda para abrir o placar, o atacante viu as bolas serem barradas em grandes defesas do goleiro lusitano por pelo menos três vezes. Na melhor delas, André Luis se esticou para evitar um golaço, após voleio do atacante.

“Ao meu ver, perdemos uma chance de ouro de conseguir uma vitória. Isso não quer dizer que não houve empenho, dedicação, vontade e atitude para vencer. Isso aconteceu da parte do Santos, mas o goleiro da Portuguesa realmente tem seus méritos, porque foi muito bem e pegou um gol de placa do Kléber, de voleio, parecia até o Bebeto”, analisou o volante Roberto Brum, encantado com a categoria do companheiro.

Mas o jogador do meio-de-campo do Peixe não crê apenas na tarde inspirada do goleiro rival como explicação para as grandes defesas que levaram os pouco mais de 7 mil presentes na Vila Belmiro ao desespero. Isso também é fruto da preparação dos arqueiros.

“Os goleiros são muito estudiosos, sabem onde o atacante finaliza. Nessa semana teve uma matéria do Kléber na televisão que mostrou todos os gols que ele fez, e aí ficou ‘mamão com açúcar’ para o goleiro. E hoje ele ainda conseguiu marcar um”, continuou o atleta.

A grande importância de Kléber Pereira para o Santos ficou evidenciada na partida deste domingo: o atacante era sempre o mais visado pelos longos lançamentos. Além disso, nenhum outro atacante (entre Molina, Cuevas, Michael e Thiago Luis) teve chances claras de marcar como o camisa 9. Apesar disso, o técnico Márcio Fernandes descartou uma dependência do atleta.

“Não é que o time depende do Kléber. É que aí você tem jogadores como ele ou o Romário, são caras que a bola procura. Não foi só no Santos que ele foi artilheiro, ele sempre teve muita distância de outros atacantes. Mas, para as coisas acontecerem, os jogadores também têm que criar”, opinou o comandante.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo