iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

28/09 - 18:02

Coxa e Furacão empatam e ficam longe de suas metas
Coxa vê mais distante meta chegar à  Libertadores; Furacão segue bastante próximo da zona de degola

Gazeta Esportiva


CURITIBA - No clássico entre dois arqui-rivais em situações opostas na tabela do Campeonato Brasileiro, o ameaçado Atlético-PR saiu na frente, mas cedeu o empate ao Coritiba no Couto Pereira. O 1 a 1 deixa os dois times longe de suas metas atuais no Nacional.

Com o resultado, o Furacão vai soma 28 pontos e segue bastante próximo da zona do rebaixamento da competição. Já o Coxa vai para 41 e vê mais distante a meta de garantir uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América.

Depois de um primeiro tempo equilibrado, o time de Geninho saiu na frente aos dez minutos da etapa complementar, quando o atacante Rafael Moura marcou de cabeça. O time da casa reagiu e empatou aos 22, através de Ariel Nahuelpan.

Os dois rivais agora só voltam ao campo no próximo sábado. O Atlético encara o Santos, na Vila Belmiro, em duelo direto contra a degola, às 18h20. No mesmo horário, o Coxa duela com o Internacional novamente no Couto Pereira.

O jogo
O clássico começou quente, com muitas dividias, brigas no meio-de-campo e três cartões amarelos em dez minutos de jogo. Mais perigoso no início, o Atlético chegou com Rafael Moura, que acertou a zaga, e Pedro Oldoni, que finalizou fraco.

Aos 24 minutos, porém, Vanderlei teve que trabalhar. Fernando bateu forte e o goleiro fez boa defesa. A partir daí, o Coxa se impôs e pressionou o arqui-rival, quase abrindo o placar aos 37, quando Keirrison desviou cruzamento de Ricardinho e obrigou Gallatto a se esticar todo.

O Furacão voltou com tudo no segundo tempo: Valencia arriscou de fora da área e Vanderlei salvou o Coritiba. Dois minutos depois, Netinho cobrou escanteio na cabeça do zagueiro Rhodolfo, que ganhou pelo alto e acertou o travessão.

Depois de tanto insistir, o Atlético inaugurou o marcador aos dez minutos: Netinho alçou na área, Chico desviou e Vanderlei saiu mal do gol. Esperto, o atacante Rafael Moura só teve o trabalho de tocar de cabeça para estufar as redes.

O Coxa acordou após o gol e se lançou para o ataque. Dorival Junior escalou Marlos e Thiago Silvy nas vagas de João Henrique e Rodrigo Heffner, enquanto Geninho recuou o Furacão, tirando o atacante Pedro Oldoni e colocando Alan Bahia.

Empurrado pela torcida, o Coritiba empataria aos 21 minutos. Marlos cruzou da esquerda, Gallato não achou nada e o argentino Ariel Nahuelpan desviou de pé direito: 1 a 1. No lance, o goleiro atleticano acabou se contundindo e deu lugar a Vinicius.

Depois do empate, o clássico diminuiu de ritmo, com o Coxa se arriscando um pouco mais, mas tendo trabalho para furar a retaguarda rubro-negra. Com isso, seguiu-se até o fim o empate por 1 a 1, resultado que acabou não agradando a nenhum dos arqui-rivais.

FICHA TÉCNICA: (veja como foi o jogo lance a lance)
CORITIBA 1 X 1 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data: 28 de setembro de 2008, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Moises Aparecido de Souza (ambos do PR)
Cartões amarelos: Maurício, Felipe e João Henrique (Coritiba) Valencia, Netinho e Rafael Moura (Atlético-PR)

Gols:
ATLÉTICO-PR: Rafael Moura, aos dez minutos do segundo tempo
CORITIBA: Ariel Nahuelpan, aos 21 minutos do segundo tempo

CORITIBA: Vanderlei; Maurício, Rodrigo Mancha e Felipe; Rodrigo Heffner (Thiago Silvy), Leandro Donizete, Carlinhos Paraíba (Guaru), João Henrique (Marlos) e Ricardinho; Ariel Nahuelpan e Keirrison
Técnico: Dorival Junior

ATLÉTICO-PR: Gallato (Vinicíus); Danilo, Rhodolfo e Chico; Rodriguinho, Valencia, Fernando (Márcio Azevedo), Ferreira e Netinho; Pedro Oldoni (Alan Bahia) e Rafael Moura
Técnico: Geninho


Leia mais sobre: Atlético-PR Coritiba



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Ninguém prevaleceu
Clássico paranaense teve muitos momentos de disputa, rivalidade, mas acabou sem um vencedor

Topo