iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

18/09 - 12:02

Ziza Valadares renuncia à presidência do Atlético-MG

Decisão é resultado da pressão que incluiu ameaças à integridade física do dirigente e de sua família

Agência Estado

BELO HORIZONTE - Ziza Valadares renunciou à presidência do Atlético Mineiro no final da manhã desta quinta-feira. O dirigente deixa o clube depois de ser muito pressionado pelos torcedores do clube, insatisfeitos com o desempenho do clube no ano do centenário, e após rompimento político com João Batista Ardizoni, presidente do conselho deliberativo do Atlético Mineiro.

O agora ex-mandatário ainda culpou os seus opositores pela saída e negou que a decisão tenha sido tomada porque o Ministério Público abrirá investigação sobre parcerias que teriam sido lesivas ao clube em sua administração. ''Estou absolutamente despreocupado, encaminhei tudo para o Ministério Público. Eu me preocupo com um movimento absolutamente orquestrado, e nós sabemos por quem, por pessoas do Conselho que têm a ousadia de mandar uma carta para a minha casa me ameaçando, é uma pessoa do nosso Conselho Deliberativo'', acusou.

A renúncia acontece um dia depois do Ministério Público de Minas Gerais ter anunciado que iria investigar as denúncias contra as parcerias do Atlético com clubes do interior de Minas Gerais, além de outras negociações.

''Me preocupo com as torcidas organizadas que entram aqui no Atlético para quebrar o patrimônio do Atlético, para me ameaçar. Nunca tive medo, continuo sem medo nenhum, mas resolvi fazer aquilo que aqueles que acham que têm condições de administrar o Atlético venham administrar. Eu estou entregando agora uma carta de renúncia ao presidente do Conselho (João Baptista Ardizoni), porque, apesar de tudo que fiz pelo Atlético, de todo o meu empenho, dois anos e sete meses de dedicação ao Atlético, os doidos varridos vêm aqui agora e podem administrar'', completou o ex-presidente atleticano.

Com a saída de Ziza, o cargo deverá ser ocupado por um de seus vice-presidentes. Renato Salvador é o primeiro apto a ocupar o cargo, mas pode recusar. Os outros vices são: Ronaldo Vasconcellos, Roberto Vasconcellos ou Gil César. Caso nenhum deles aceite assumir a presidência do Atlético Mineiro, o cargo deverá ser ocupado por João Batista Ardizoni, presidente do Conselho. Ele também pode convocar novas eleições.

Ziza revelou, no final de agosto, ter recebido uma carta anônima com ameaças de morte, caso não deixasse a direção do clube. O dirigente, no entanto, disse na época que não deixaria o Atlético Mineiro, além de garantir que não temia pela sua vida ou de seus familiares.

A revolta da torcida com os resultados do time se transformaram em campanha de boicote, criada pela principal torcida organizada do clube, ao jogos do Atlético Mineiro. O movimento deu resultado e menos de 10 mil torcedores compareceram nos últimos jogos do time no Brasileirão e na Copa Sul-Americana.


Leia mais sobre: Ziza Valadares Atlético-MG



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

No ano do centenário
Presidente não suportou pressões e ameaças e renunciou após um ano e nove meses no cargo

Topo
[x] fechar