iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

13/09 - 11:55

Maurício supera broncas e Gladstone para viver jogo da carreira
Zagueiro terá a responsabilidade de começar como titular na partida contra o Cruzeiro, domingo, pelo Brasileirão

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Depois de nove meses como última alternativa na zaga palmeirense, Maurício viverá neste domingo diante do Cruzeiro, em seu oitavo jogo como profissional, a inédita sensação de estar em campo por preferência de Vanderlei Luxemburgo. Aos 19 anos, o zagueiro foi eleito para ser o líbero da equipe no Mineirão, barrando Gladstone, que já passou pela seleção brasileira e era o mais cotado para a vaga do lesionado Jéci.

De fala curta e já mais acostumado a dividir o ambiente com atletas consagrados, o camisa 17 credita sua ascensão à disposição nos treinamentos com o time reserva. O desempenho em suas oportunidades em campo, porém, também pesaram para que fosse escolhido como o último homem da retaguarda que terá Martinez pela esquerda e Gustavo pela direita.

“Respeito muito o Gladstone, mas sempre treinei firme à espera de uma oportunidade e o professor optou por mim”, enalteceu Maurício, que ouviu do técnico a razão da preferência. “Entrei por ele ter escolhido o 3-5-2, e eu sou mais rápido. Sei fazer a sobra e jogar na cobertura. Já joguei também pela direita, como atuava nas categorias de base, mas rendi mais jogando na sobra”, reconheceu.

Ser titular não é uma novidade para o jogador. Em 2008, o defensor, que ficou em janeiro após empréstimo ao CRB no ano anterior, já iniciou sete partidas. O que não significou experiência suficiente para não sofrer com as broncas de Luxemburgo. Novo no time, Maurício foi o maior alvo dos gritos e os puxões do comandante para acertar o posicionamento na concentração em Atibaia. E nem ligou.

“Isso é normal, ele tem que cobrar mesmo. É um treinador de muita experiência, já foi campeão brasileiro, sabe o que temos de fazer para vencer”, elogiou, preparado para os urros bem menos amistosos que ouvirá da torcida cruzeirense no final de semana. “A pressão sempre existe, mas sempre treinei firme para estar bem quando for escolhido”.

E é bem orientado e calejado com os gritos adversários que o zagueiro se diz pronto para atuar em um duelo que vale a vice-liderança do Brasileiro. “É o jogo mais importante da minha carreira, e superimportante também para o Palmeiras”, apontou Maurício, torcendo para que, em sua segunda visita ao Mineirão, não tenha a mesma frustração de 6 de julho deste ano. “Já ia jogar contra o Atlético, mas no vestiário o Jéci foi escolhido”, lembrou o defensor, sacado para a estréia do zagueiro de quem será substituto desta vez.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias