iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

09/09 - 14:16

Seleção assume favoritismo, mas pede respeito à Bolívia

Para jogadores, seleção brasileira tem que impor seu ritmo de jogo e controlar a posse de bola contra a Bolívia

Agência Estado

RIO DE JANEIRO - Apesar do discurso do técnico Dunga, que tentou evitar o clima de favoritismo em suas últimas entrevistas, os jogadores da seleção brasileira assumiram a condição nesta terça-feira, véspera da partida no Engenhão, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010. "Temos de entrar como entramos contra o Chile, para impor nosso ritmo do jogo. Temos de ter o controle e a posse de bola, mesmo que eles fiquem fechados, como deve acontecer", disse o meia Diego, que destacou a importância de não confundir favoritismo com desrespeito.

O atacante Robinho, ex-companheiro de Santos, adotou discurso semelhante. "O Brasil é favorito, mas precisa respeitar o adversário. E a melhor maneira de faz isso é atacar o tempo todo e tentar fazer muitos gols."

Para Luis Fabiano, autor de dois gols nos 3 a 0 sobre o Chile, o fato de o adversário estar na lanterna não é motivo para a seleção brasileira perder o ímpeto ofensivo.

"A gente não pode olhar na tabela. A gente sabe que a Bolívia está na lanterna, mas temos de entrar com a mesma seriedade, e não deixar escapar a chance de fazer três pontos. Temos de fazer de tudo para que o jogo se torne fácil", afirmou o jogador do Sevilla.

O Brasil é vice-líder das Eliminatórias na América do Sul, com 12 pontos ganhos em sete jogos - três vitórias, três empates e uma derrota. A Bolívia ocupa a décima e última posição, com apenas quatro.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
[x] fechar