iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/09 - 16:33

Provável titular no domingo, Denílson acha difícil ficar no time

Apesar da oportunidade no próximo jogo contra o Cruzeiro, atacante reconhece melhor momento da dupla titular

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Por estarem suspensos pelo terceiro cartão amarelo, Alex Mineiro e Kléber não enfrentam o Cruzeiro neste domingo. Mas com certeza estarão de volta na rodada seguinte, contra o Vasco, no Palestra Itália.

A incontestável titularidade da dupla de ataque do Palmeiras é admitida até mesmo por prováveis substitutos dos dois no Mineirão.

“São dois grandes jogadores que vivem um momento muito bom, acho difícil tirá-los do time. A característica de quem vai entrar é diferente. O Alex é um dos maiores artilheiros do Brasil, dentro da área define muito bem, é difícil substituir alguém com essa qualidade. Já o Kléber se entrega muito fisicamente e dá trabalho aos adversários”, comentou Denílson.

Mais do que a fase e o entrosamento, a constância dos dois dificulta as pretensões dos reservas em deixar definitivamente o banco. “A seqüência do Alex e do Kléber facilita muito, dá confiança. Quem for titular domingo terá como principal problema a falta de ritmo. Os dois que entrarem vão se entregar ao máximo para substituírem os titulares à altura, mas é provável que não agüentem os 90 minutos”, previu Denílson.

Apesar de todas as adversidades, o camisa 19 espera uma boa atuação de quem for escalado por Vanderlei Luxemburgo. Além do meia-atacante, o técnico tem como opções Lenny, Thiago Cunha, Jorge Preá ou até mesmo o meia Maicosuel. E todos contam com uma vantagem para o duelo de domingo: a capacidade de puxar contra-ataques.

“Não sou um atacante de marcar gols, mas, se tiver a oportunidade, vou tentar finalizar o máximo possível, assim como os outros que entrarem. E eu, o Lenny e o Preá temos a velocidade a nosso favor. É uma característica nossa e uma grande opção para o Vanderlei, porque o Mineirão é um campo grande e com certeza vai haver espaços”, analisou Denílson, enxergando no confronto em Minas Gerais a chance de se firmar como alternativa à nova ausência dos atacantes.

“Independentemente de quem for escolhido, tanto eu quanto o Lenny, o Thiago e o Preá vamos dar o nosso melhor para o Palmeiras somar pontos no Mineirão. O Vanderlei sempre destaca o elenco e neste jogo podemos provar isso. Quem veste esta camisa tem de saber que a responsabilidade é grande, e nós temos esta consciência”, assegurou.

A apresentação em uma partida decisiva para manter o Verdão na briga pelo título brasileiro também conta pontos para a permanência no clube em 2009. Segundo Luxemburgo, cerca de 70% do grupo ficam no próximo ano. Com contrato até dezembro, Denílson sabe que o desempenho na reta final é importante para a renovação. Mas desatrela o jogo de domingo à decisão do técnico.

“O jogador não pode querer conquistar o treinador em um jogo, porque pode jogar muito bem em um e depois jogar mal ‘pra caramba’ em outro. Conheço o Vanderlei há um bom tempo, já tinha estado com ele na seleção e sei como ele gosta de trabalhar. Ele não analisa o jogador por uma partida, observa muito o comportamento nos treinos”, contou, usando sua chegada ao Palmeiras como prova dos métodos de Luxa.

“Meu contrato foi feito desta forma. Fiquei um mês treinando, o Vanderlei viu que eu estava respeitando os horários, fazendo a minha parte, se interessou e me chamou para conversar. Por isso, sei que ele não decidirá sobre a renovação do meu contrato só pelo meu jogo contra o Cruzeiro. Ele já vem analisando o elenco desde o início”, finalizou o camisa 19.


Leia mais sobre: Palmeiras Cruzeiro Denílson



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
[x] fechar