iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

05/09 - 01:32

Kléber se indigna com gol “infantil”; Marcos evita polêmica

“Um time que quer ser campeão não pode tomar gol em um balão", comenetou o atacante palmeirense após derrota para Sport

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Na sétima derrota do Palmeiras no Brasileiro, Marcos, normalmente responsável por sinceras críticas que resultaram no tropeço, guardou sua indignação para si, com respostas evasivas na saída do gramado. Quem não conseguiu se segurar desta vez foi Kléber. O atacante não se conforma com o primeiro gol da vitória por 3 a 0 do Sport.

O lance que tirou o camisa 30 do sério aconteceu aos 23 minutos do primeiro tempo. O Verdão não conseguia furar a retranca pernambucana e, para afastar o perigo, o goleiro Magrão deu um chutão. A bola passou do meio-campo e Carlinhos Bala, em posição duvidosa, conseguiu superar seus 1,62m de altura para ganhar de Jéci pelo alto e ajeitar de peito para Roger, sozinho, marcar o gol.

“Um time que quer ser campeão não pode tomar gol em um balão. Foi muito infantil. Com o Carlinhos Bala impedido ou não, a bola viajou ‘dois dias’, alguém precisava cortar”, reclamou Kléber, já irritado pela pouca produção do ataque alviverde nessa quinta-feira e que viu seus companheiros se aglomerarem em vão pedindo a anulação da jogada.

Enquanto o companheiro protestava, Marcos preferiu se mostrar mais calmo que o comum em más apresentações do Palmeiras. Durante a partida, o goleiro olhava com incredulidade as falhas da equipe, que deixou o mesmo Roger livre na pequena área para fazer o segundo e ainda Durval cabecear na trave e aproveitar o rebote sem ser incomodado para fechar o placar.

No caminho para os vestiários, porém, fugiu da polêmica. “Acho melhor eu ver depois pela televisão para ver o que aconteceu”, minimizou, utilizando-se da mesma estratégia ao comentar os momentos em que reclamou com alguns torcedores que, segundo o capitão gritava do gramado, “cornetavam demais”. “Só estava olhando para a numerada para ver se minha mulher estava ali”, tentou explicar.

Diante da busca pela paz do maior ídolo da torcida, Kléber, já com a cabeça mais fresca, apontou seu protesto como uma indignação com toda a equipe. Inclusive ele mesmo. “Quando eu critiquei, não falei que a culpa era só da defesa. Foi um erro do time todo. Durante o jogo, o pessoal da frente tem que voltar mais, como o Diego, o Alex. Eu também tenho que pegar uns rebotes que não peguei. Tem que melhorar no todo”, recomendou.

Ainda para pôr panos quentes, Vanderlei Luxemburgo também contemporizou sobre o tema. “A declaração do Kléber foi algo normal de quem perdeu um jogo. É complicado mesmo tomar um gol de balão. Ele falou uma realidade, não podemos tomar gol assim. Mas se eu for me preocupar com declarações, vira um tiroteio. Não vou criar tempestade falando que o Kléber disparou contra todo mundo”, apaziguou o técnico.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo