iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

03/09 - 18:58

Robinho admite “saídas traumáticas”, e aceita críticas de Pelé
O jogador foi bombardeado com perguntas sobre sua saída do poderoso Real Madrid para o menos tradicional Manchester City

Gazeta Esportiva

TERESÓPOLIS - Depois de se apresentar à seleção brasileira para os jogos contra Chile e Bolívia com um dia de atraso, descer de helicóptero em um clube localizado ao lado da Granja Comary e seguir para o treino da tarde sem falar com a imprensa, o atacante Robinho finalmente rompeu o silêncio.

Em entrevista coletiva concedida no início da noite desta quarta-feira, o jogador foi bombardeado com perguntas sobre sua saída do poderoso Real Madrid para o menos tradicional Manchester City, da Inglaterra, e também sobre as críticas que recebeu de Pelé pela forma como deixou a equipe espanhola. E não se esquivou de nenhuma delas.

“Essas saídas talvez tenham acontecido porque os clubes queriam ficar comigo. Sei que isso desgastou um pouco minha imagem e não queria que acontecesse, mas aconteceu duas vezes, então paciência”, sintetizou, sem medo dos efeitos que isso possa causar em sua imagem de ídolo. “Não ficará manchada em relação ao futebol, e sim à confusão que aconteceu, mas quem entende de futebol sabe que eu tive razão”.

Sobre as críticas de Pelé ao jornal britânico Daily Telegraph, dizendo que Robinho precisava de bons conselhos, pois estava sendo mal assessorado, Robinho, descoberto em um treino do Santos pelo próprio “Rei” do futebol, foi direto: “Aceito as críticas do Pelé, que é o Rei do futebol, mas, se ele estivesse na minha situação, talvez tivesse feito o mesmo”, opinou, emendando, na seqüência, novas críticas ao ex-clube.

“A intenção do Real não era ficar comigo, tanto que me colocaram como moeda de troca pelo Cristiano (Ronaldo, do Manchester United). Como o negócio não deu certo, quiseram me segurar. Se eles não queriam ficar comigo, eu também não queria ficar no Real e foi isso o que disse ao presidente”, reforçou, negando que tenha chorado para convencer o presidente do clube, Juan Calderón, a negociá-lo.

“Eu chorei quando ele não me liberou para jogar as Olimpíadas e isso vocês podem conferir perguntando a ele, mas não chorei para sair. Só falei que não queria mais ficar no clube e pedi para ser negociado”.

Trocando as bolas: Depois de ter convocado uma entrevista coletiva para anunciar seu desejo de jogar no Chelsea, Robinho, hoje jogador do Manchester City, garantiu estar feliz com o desfecho da negociação, mas acabou cometendo um pequeno lapso que mostrou o quanto desejaria defender a equipe londrina.

“Fui para o Manchester feliz e satisfeito. Muita gente está dizendo que não é um clube de ponta, mas penso exatamente o contrário”, afirmou o jogador, que elogiou bastante o projeto do City ao ser apresentado como novo reforço do clube.

O craque admitiu, no entanto, que sua primeira idéia era defender o Chelsea, poderoso clube londrino dirigido por Luiz Felipe Scolari. Tanto que trocou o nome dos clubes ao explicar o desfecho da traumática negociação.

“Meu objetivo era ir para o Chelsea, até porque era o único clube que havia feito uma proposta oficial, mas o Real Madrid não gostou de ver minha camisa à venda no site deles antes do término das negociações e o valor exigido para minha liberação também não foi alcançado. Aí veio o Chelsea, ou melhor, o Manchester City, aos 49 minutos do segundo tempo e me levou”.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo