iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/09 - 14:52

Jornalistas uruguaios pretendem boicotar jogos do Nacional em Montevidéu

O estádio foi palco de atos violentos no último domingo, que provocaram o cancelamento da partida entre Nacional e Villa Española

EFE

MONTEVIDÉU (Uruguai) - O Círculo de Jornalistas Esportivos do Uruguai pediu aos seus associados que não voltem a trabalhar no estádio Parque Central de Montevidéu enquanto não receberem garantias de segurança.

O estádio foi palco de atos violentos no último domingo, que provocaram o cancelamento da partida entre Nacional e Villa Española, válida pela segunda rodada do torneio Apertura do Campeonato Uruguaio.

No incidente, três jornalistas foram agredidos por membros de uma facção do Nacional.

Em comunicado publicado no site oficial da entidade, foi feito um pedido para que os jornalistas não compareçam ao Parque Central enquanto o estádio não oferecer segurança à imprensa.

"Pedimos a todos os colegas que não realizem nenhuma tarefa quando o Nacional mandar seus jogos no Parque Central até que recebam as garantias necessárias para trabalhar", disse a nota.

A organização também intimou o Nacional a tomar "medidas para erradicar a violência da torcida" e que promova melhorias nas "áreas de trabalho". Os jornalistas também desejam ser recebidos pela ministra do Interior do Uruguai.

O motivo da revolta dos torcedores do time da casa foi o rigor do árbitro Liber Prudente, que cancelou a partida após os jogadores do Nacional não entrarem em campo na hora marcada, às 15h30.

A comissão de arbitragem da Associação Uruguaia de Futebol (AUF) havia advertido aos clubes, antes do início do Apertura, que seria rigorosa com os horários das partidas. Já os árbitros foram orientados a seguir à risca a norma, caso contrário ficariam sujeitos a punições.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo