iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

31/08 - 20:52

Mesmo vitorioso, Palmeiras deixa Curitiba reclamando do árbitro
“Nós não queremos que o Sr. Sandro Meira Ricci apite os jogos do Palmeiras", declarou gerente de futebol

Gazeta Esportiva

 


CURITIBA - Nem mesmo a vitória por 2 a 1 fora de casa sobre o Atlético-PR neste domingo foi capaz de conter os ânimos do Palmeiras quanto à atuação do árbitro Sandro Meira Ricci. Após o jogo, o gerente de futebol alviverde, Toninho Cecílio, foi taxativo: não quer mais o árbitro nos jogos do Palmeiras.

“Nós não queremos que o Sr. Sandro Meira Ricci apite os jogos do Palmeiras. Se o Sérgio Correia (presidente da comissão de arbitragem) quiser colocar, é lógico, ele manda, mas nós não queremos”, disse o dirigente à Rádio Globo. Ele ainda anunciou que tomará medidas efetivas contra o profissional.

“Nós vamos registrar um protesto formal contra ele, porque é inadmissível que, em um início da reta final do Campeonato Brasileiro, com jogos cada vez mais decisivos, nós tenhamos arbitragens assim”, reclamou Toninho Cecílio.

Foram duas decisões do árbitro que causaram a ira palmeirense na Arena da Baixada: primeiro, a marcação de pênalti, quando Fernando cruzou e Jumar, dentro da área, acabou tocando a bola com o braço, no qual foi marcado pênalti. Na cobrança, Alan Bahia fez a paradinha, a mesma que havia sido proibida a Alex Mineiro no último jogo, o que também irritou a diretoria do Palmeiras.

“O Sérgio Correia deveria assumir uma posição quanto a isso, se pode ou não fazer a paradinha, porque aí eles mandam uma circular para cá e nós ficamos sem saber o que fazer”, sugeriu o técnico Vanderlei Luxemburgo, citando a circular distribuída pela CBF, segundo a qual o uso da paradinha fica a critério dos árbitros.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press


Diego Souza foi o grande destaque da partida, marcando duas vezes contra o Atlético-PR

Topo