iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

30/08 - 20:30

Botafogo vacila e permite empate do Náutico no Engenhão

Alvinegro sofreu um gol de cabeça e saiu com gosto de derrota; assista aos gols no player ao lado

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Num jogo em que poderia ter goleado, o Botafogo tropeçou ao empatar por 1 a 1 com o Náutico na noite deste sábado no Engenhão, em jogo pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time carioca dominou boa parte da partida, e chegou a colocar uma bola no travessão no segundo tempo, mas vacilou no final da partida e permitiu que os pernambucanos deixassem o Rio de Janeiro com um ponto. Veja os gols no player ao lado>>>

Com este resultado, o Alvinegro carioca – que teve seu gol marcado por Carlos Alberto – permaneceu na quarta posição com 39 pontos, mas poderá ser ultrapassado neste domingo, deixando a zona de classificação para a Copa Libertadores. Adriano fez o gol do Timbu, que permaneceu na zona de rebaixamento com 23 pontos.

O primeiro tempo, como já se esperava, foi um verdadeiro ‘defesa contra ataque’. O Botafogo ficou a maior parte do tempo no campo ofensivo, mas encontrava dificuldades na boa marcação feita pelo Náutico. O técnico do time pernambucano, Roberto Fernandes, isolou Kuki no ataque, congestionando o meio-campo. Logo aos dois minutos, Triguinho cruzou, a zaga afastou e Diguinho chutou para fora. Aos 11, foi a vez de Túlio arriscar à esquerda do goleiro Eduardo.

A primeira vez que o Náutico assustou foi aos 13 minutos – e mesmo assim, num chute de fora da área que o goleiro Castillo defendeu em dois tempos. A resposta botafoguense veio dois minutos depois, quando Jorge Henrique foi lançado entre os zagueiros e rolou para Thiaguinho, livre de marcação, chutar para fora.

Aos poucos, o Náutico foi diminuindo os espaços, e o Botafogo começou a assustar apenas nas jogadas de bola parada – como aos 30 minutos, quando Carlos Alberto cobrou falta e o goleiro defendeu. Dois minutos mais tarde, Eduardo espalmou chute de Triguinho. Outra grande chance aconteceu aos 35: Lúcio Flávio chutou de fora da área, o goleiro deu rebote, a zaga cortou de forma equivocada e Thiaguinho mandou sobre o gol.

De tanto insistir, o Botafogo chegou ao gol aos 38 minutos. Após jogada ensaiada em cobrança de escanteio, Túlio tocou para Lúcio Flávio pela esquerda. O meia rolou e Carlos Alberto concluiu para o fundo da rede. Por muito pouco, o camisa dez Lucio Flavio não marcou um golaço quatro minutos depois: ele driblou cinco marcadores, mas na cara do goleiro chutou para fora.

Nos minutos finais do primeiro tempo, o Náutico esboçou uma reação, e teve boas chances num chute de Ruy, defendido por Castillo, e num complemento de Kuki, que mandou a bola para fora estando diante do goleiro. Após o intervalo, o Botafogo voltou a campo disposto a decidir a partida, e teve muitas chances nos primeiros minutos, todas desperdiçadas.

Logo no primeiro lance, Triguinho cruzou, Gil chutou e goleiro espalmou. Aos três minutos, Carlos Alberto, dentro da área, chutou para fora. Aos sete, foi a vez de Gil arriscar chute no travessão. O Náutico só assustou aos dez minutos, e mesmo assim, num arremate de Kuki que Castillo defendeu.

Aos 13 minutos, a situação ficou ainda mais complicada para o Náutico, que ficou com dez homens em campo porque Alceu foi expulso por jogo violento. Dois minutos depois, o inspirado Lúcio Flávio cobrou falta e o goleiro salvou. A resposta do Náutico veio aos 20, quando Ruy cobrou escanteio, que Radamés cabeceou e Triguinho salvou em cima da linha. Aos 24, Túlio recebeu na área e chutou para fora, com efeito.

O jogo estava elétrico, e quase que o Náutico empatou aos 26 minutos. Ruy lançou Felipe, e Castillo teve que sair aos pés dele para evitar o gol. Três minutos depois, foi a vez de Eduardo trabalhar num chute de Diguinho. Aos 34 minutos o árbitro Paulo César Oliveira errou ao não marcar um pênalti de Jorge Henrique em Hamilton, que empurrou o atacante botafoguense. Dois minutos depois, Lucio Flavio cobrou falta no canto, e Eduardo espalmou.

Mas num lance isolado, o Náutico empatou aos 37 minutos. Felipe cobrou escanteio, Paulo Santos deviou de cabeça e Adriano escorou para o fundo do gol, definindo o marcador. O jogo marcou a estréia do argentino Zárate pelo Botafogo, mas o atleta, que entrou no segundo tempo, foi uma figura apagada em campo.

As duas equipes voltam a campo no próximo sábado, às 18h20 (horário de Brasília). O Botafogo visita o Coritiba no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. Já o Náutico, nos Aflitos, em Recife, recebe o igualmente ameaçado Ipatinga, que ficou no 0 a 0 com o Vitória fora de casa neste sábado.

FICHA TÉCNICA (Veja como ficou o jogo lance a lance)
BOTAFOGO 1 x 1 NÁUTICO

Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 30 de agosto de 2008, sábado
Horário: 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Marcio Luiz Augusto (SP) e Marcelino Tomaz de Brito (SP)
Renda: R$ 258.425,00
Público: 23.946 pagantes
Cartões amarelos: Carlos Alberto (Botafogo) e Negretti, Ticão, Alceu (Náutico)
Cartões vermelhos: Alceu (Náutico)

Gols:
BOTAFOGO:
Carlos Alberto aos 38 minutos do primeiro tempo
NÁUTICO: Adriano aos 37 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Castillo, Thiaguinho (Leandro Zárate), Renato Silva, André Luis e Triguinho; Túlio (Alessandro), Diguinho, Lucio Flavio e Carlos Alberto; Jorge Henrique e Gil (Zé Carlos)
Técnico: Ney Franco

NÁUTICO: Eduardo, Negretti, Vágner e Adriano; Ruy, Hamilton, Ticão (Felipe), Alceu, Paulo Santos e Valdeir (Gilmar); Kuki (Radamés)
Técnico: Roberto Fernandes


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo