iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

29/08 - 11:14

Bota vira exemplo no campeonato “mais difícil de se vencer fora”

A seqüência de seis vitórias alcançada pelo Botafogo tirou o time de perto da zona de rebaixamento

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Na busca para ultrapassar o primeiro colocado, o vice-líder do Campeonato Brasileiro tem como modelo a campanha de quem está em quarto lugar. Este é o raciocínio no Palmeiras.

A seqüência de seis vitórias alcançada pelo Botafogo tirou o time de perto da zona de rebaixamento para a faixa de classificação à Libertadores. E é um embalo assim que está nos sonhos de Wanderley Luxemburgo.

“O Botafogo é um exemplo muito claro do que tem sido esse campeonato. Com uma série de vitórias, saiu de uma posição desconfortável para viver agora uma possibilidade de classificação para a Libertadores”, indicou o treinador, destacando a importância de evitar tropeços neste segundo turno.

“Nesta reta final, três vitórias ou três derrota seguidas mudam muita coisa. Todo o jogo é decisivo porque tem só mais um turno. As chances vão se eliminando e o campeonato vai acabando”, analisou.

Para não ser eliminado desta briga pelo título, o Verdão tem de corrigir seu péssimo desempenho fora de casa – somou apenas nove de 33 pontos possíveis como visitante. “Mas isso não é um privilégio só do Palmeiras”, sempre repete Wanderley Luxemburgo, apontando que as dificuldades para triunfar longe de seus domínios é uma realidade do futebol sul-americano.

E o treinador apelou para os números para comprovar sua tese. “As críticas sobre o nosso mau desempenho fora procedem, mas temos que ver que o campeonato está difícil para todos vencerem fora. O percentual de vitória fora neste ano é de 17%, o menor da história do campeonato em pontos corridos (após 22 rodadas)”, argumentou.

Antes de 2008, o Brasileiro de menor rendimento dos visitantes foi no primeiro com pontos corridos, em 2003, quando o aproveitamento era de 19% nas 22 rodadas iniciais. Naquele ano, o Cruzeiro de Luxa ficou com o título.

Mesmo sofrendo com um problema que o técnico considera geral, os campeões paulistas sabem que, para ficarem com o pentacampeonato nacional, precisam somar mais pontos longe de casa, a começar no domingo, contra o Atlético Paranaense. A meta é seguir ao menos na cola do Grêmio até o final da maratona com dois jogos semanais.

“Em 4 de setembro, teremos a última rodada dessa seqüência de jogos de quarta e domingo. Sempre disse que depois desse período o campeonato ia estar definido sobre quem briga por título, Libertadores ou rebaixamento porque quem chegar com vantagem vai passar a ter uma semana livre para treinar. Vão ter menos perdas por lesão, o planejamento fica melhor”, previu Luxemburgo.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo