iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

29/08 - 19:19

Antes do fim da janela, Cruzeiro vende Kerlon e Jonathas

Meia deve ser repassado ao Chievo Verona, da Itália, e atacante irá para o AZ Alkmaar, da Holanda 

Gazeta Esportiva

BELO HORIZONTE - Conhecido nacionalmente por sua estratégia de negociar jogadores, o Cruzeiro foi à forra nesta sexta-feira, às vésperas do fechamento da janela do mercado europeu. Além do volante Charles, que era titular, o clube mineiro conseguiu também vender dois jogadores que estavam encostados no elenco: o meia Kerlon, de 20 anos, e o atacante Jonathas, de 19.

Os direitos econômicos de Kerlon foram fatiados como uma pizza – nada mais adequado, já que seu destino é a Itália. Antes da transação, o Cruzeiro os dividia meio a meio com um investidor. Nesta sexta, o empresário italiano Mino Raiola acertou o pagamento de 1,3 milhão de euros (pouco mais de R$ 3 mi) por 80% dos direitos e deve repassá-lo ao Chievo Verona. Os 20% restantes, assim como o dinheiro da venda, ficam divididos entre o Cruzeiro e o antigo investidor.

O meia surgiu em 2005 como um menino prodígio e ganhou projeção nacional por seu drible de conduzir a bola com a cabeça, que lhe rendeu o apelido de Foquinha. Porém, suas muitas lesões o impediram de deslanchar com a camisa do Cruzeiro. Na última delas, Kerlon preferiu se tratar na Itália, entrando em atrito com a diretoria. As discussões seguiram até um ponto em que o vice-presidente de futebol Zezé Perrella afirmou que o atleta não jogaria nunca mais pelo clube.

Já o centroavante Jonathas tem uma história mais apagada no Cruzeiro. Alto e forte, porém pouco habilidoso, ele nunca conseguiu se firmar na equipe principal. Seu ponto alto foi ainda nas categorias de base, quando formou com Guilherme o ataque do título inédito da Copa São Paulo de Futebol Júnior, em 2007.

O destino do atacante é a Holanda. O AZ Alkmaar pagou 600 mil euros (pouco menos de R$ 1,5 mi) por 65% de seus direitos econômicos. O Cruzeiro ficou com os outros 35%.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo