iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

28/08 - 00:07

Com vexame em casa, Galo dá adeus à Sul-Americana

Próximo adversário do Fogão no torneio será definido no clássico colombiano entre América e Deportivo Cáli

Gazeta Esportiva

BELO HORIZONTE - O Botafogo goleou o Atlético-MG por 5 a 2 na noite desta quarta-feira e confirmou sua classificação para a fase internacional da Copa Sul-Americana. O placar foi construído com facilidade, devido à boa vantagem que a equipe carioca havia construído no jogo de ida, quando venceu por 3 a 1 no Engenhão.

O próximo adversário do Fogão no torneio será definido no clássico colombiano entre América e Deportivo Cáli.

Desfalcado, o Galo entrou em campo com sete jogadores formados nas categorias de base, com idade média de seus titulares em 23 anos. Já o Alvinegro Carioca veio quase completo para a partida, tendo Gil no lugar Wellington Paulista como única mudança em relação à formação principal.

Precisando vencer por pelo menos dois gols de diferença, o Atlético-MG partiu para o ataque. Logo aos oito minutos, perdeu uma chance claríssima de gol. Em jogada de Lenílson e Jael, a bola sobrou para o estreante Pedro Paulo, que bateu forte, mas Castillo conseguiu desviar para escanteio.

Nos minutos seguintes, o time da casa continuava com maior presença ofensiva, criando mais duas chances, menos perigosas. Na primeira, Pedro Paulo recebeu pela esquerda livre e cruzou, mas a zaga levou a melhor. Na segunda, Lenílson encobriu o gol em cobrança de falta. Apesar disto, os visitantes tentavam surpreender em jogadas de velocidade.

Quando passou a pressionar a saída de bola, o time de General Severiano conseguiu abrir o marcador. Após um cruzamento da esquerda, Luís Gustavo cortou mal a bola e Lúcio Flávio, da meia lua, colocou a bola no ângulo de Édson, num lance bastante plástico, aos 21 minutos.

O gol abalou a jovem equipe mineira, que se perdeu em campo. Mais consciente, o Botafogo foi se impondo na partida, jogando com inteligência e explorando os espaços. Aos 26 minutos, Diguinho lançou na direita para Jorge Henrique, que rolou para a área. De primeira, Lúcio Flávio marcou mais um golaço.

Neste momento, somente uma vitória por três gols de diferença classificaria o Galo, ou seja, seria preciso marcar pelo menos cinco. A esta altura, a torcida já não acreditava mais, dividindo-se entre o silêncio e protestos contra a diretoria. No gramado, a equipe carioca tornava-se, inclusive, mais presente ao campo de ataque, valorizando a posse de bola.

Mesmo quando conseguiu reagir, o Atlético-MG não diminuiu o marcador. Aos 35, Mariano cruzou da direita, mas Pedro Paulo, livre, cabeceou por cima do gol. Pouco depois, um escanteio deixou Leandro Almeida livre na pequena área, mas o zagueiro errou o domínio da bola. Antes do fim do primeiro tempo, Márcio Araújo ainda perdeu uma oportunidade razoável, batendo na rede pelo lado de fora.

Mal o segundo tempo começou e o Botafogo ampliou ainda mais sua vantagem. Com apenas um minuto jogado, Jorge Henrique bateu forte, da entrada da área, no ângulo, e a bola ainda tocou a trave antes de balançar a rede.

Embora indiscutivelmente eliminados, os atleticanos continuaram lutando por brio e acabaram encontrando o gol. Aos 14 minutos, Castillo rebateu mal um chute de fora da área, entregando a bola para Lenílson na cara do gol. O meia-atacante fuzilou para descontar o marcador.

Nem assim o Galo conseguiu partir rumo ao empate. Pelo contrário, a desorganização defensiva fez com que a equipe sofresse ainda mais. Aos 19 minutos, Gil avançou pela esquerda sem ser incomodado e cruzou na cabeça de Carlos Alberto, que fez o quarto para os visitantes.

Aos 33 minutos, Jorge Henrique foi lançado e invadiu a área pelo centro, mas acabou atropelado por Serginho. O volante atleticano foi expulso e o pênalti marcado. Gil cobrou displicentemente e isolou a bola, mantendo o placar em 4 a 1. Não tardou, contudo, para que ele fosse alterado, mas para o outro lado. Aos 36, Lenílson recebeu na entrada da área, girou e marcou o segundo.

Mas não era mesmo o dia de nada dar certo para o Atlético-MG. Aos 40 minutos, numa cobrança de escanteio do Botafogo, o zagueiro Leandro Almeida cabeceou em cheio contra as próprias redes, com Édson vendido no lance, e a goleada chegou a 5 a 2.

Com a vaga mais que definida, chamou a atenção o bom humor das arquibancadas diante da tragédia. Vendo sumir a última chance de título, torcedores entoavam coros irônicos, como “é campeão” e “olé”, como se o time estivesse vencendo.

No fim de semana, as duas equipes voltam a se concentrar no Campeonato Brasileiro. O Botafogo joga já no sábado, contra o Náutico, no Rio de Janeiro. O próximo compromisso do Atlético-MG é no domingo, diante da Portuguesa, em São Paulo.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 5 BOTAFOGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 27 de agosto de 2008, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Assistentes: Altemir Hausmann (RS) e Emerson de Carvalho (SP)
Público pagante: 5.081 torcedores
Cartões amarelos: Vinícius, Serginho, Leandro Almeida (Atlético-MG)
Cartão vermelho: Serginho (Atlético-MG)

Gols: BOTAFOGO - Lúcio Flávio, aos 21 e aos 26 minutos do primeiro tempo; Jorge Henrique, a um, Carlos Alberto, aos 19, e Leandro Almeida – contra –, aos 40 minutos do segundo tempo.
ATLÉTICO-MG - Lenílson, aos 14 e aos 36 minutos, do segundo tempo.

ATLÉTICO-MG: Édson, Mariano, Leandro Almeida, Vinícius e Luis Gustavo (Renan); Denílson (Gedeon), Serginho, Márcio Araújo e Lenílson; Pedro Paulo (Raphael Aguiar) e Jael.
Técnico: Marcelo Oliveira

BOTAFOGO: Castillo, Thiaguinho (Alessandro), Renato Silva (Ferrero), André Luis e Triguinho; Túlio, Diguinho (Zé Carlos), Lúcio Flávio e Carlos Alberto; Jorge Henrique e Gil.
Técnico: Ney Franco


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Futura Press

Sorria, Lúcio Flávio!
Meia comandou a vitória maiúscula do Botafogo, que nem parecia estar jogando fora de casa

Topo