iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

26/08 - 14:16

Luiz Alberto defende diretoria no caso Dodô

Zagueiro contou ainda que Dodô é um jogador que não aceitava virar reserva no Fluminense

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - O capitão do Fluminense Luiz Alberto tentou, mas fracassou na tentativa de não alfinetar o agora ex-colega Dodô, que teve o contrato rescindido na manhã desta terça-feira após mais um ato de indisciplina no último sábado.

“O Dodô tem uma personalidade muito forte e não aceita ficar no banco de reservas. Mas não é o jogador que se escala, pois quem está bem joga e quem não vem bem fica como opção no banco de reservas. Quando isso começa a gerar um problema e atrapalhar o andamento das coisas a diretoria tem mesmo que tomar uma atitude”, opinou o zagueiro tricolor.

Dodô já vinha desagradando aos jogadores do Fluminense desde a final da Copa Libertadores. Informações de bastidores davam conta que após a derrota para a LDU, alguns atletas reclamaram do fato de o artilheiro, por estar no banco de reservas, não vibrar com os gols de sua equipe.

A saída do Fluminense é mais um momento conturbado para o currículo de Dodô, que tem um histórico de deixar os clubes que defende com muitos gols e problemas de relacionamento. No São Paulo, onde foi revelado, se desentendeu com o técnico Paulo César Carpegiani. Depois, no Botafogo, teve duas saídas polêmicas.

Em 2006 largou o plantel no meio do Campeonato Brasileiro, quando era artilheiro.Retornou ao Alvinegro no ano seguinte, mas saiu faltando um mês para o término do contrato acabar, desgastado com a história da acusação de doping e o fracasso do time na temporada.

O jogador ainda não se posicionou sobre a sua saída das Laranjeiras, e o Corinthians caminha para ser o novo destino do artilheiro dos gols bonitos. Sem Dodô o Fluminense busca a contratação de mais um atacante. Como a janela de transferências para o exterior se fecha no fim de semana, os reforços deverão chegar da Série B do Campeonato Brasileiro.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo