iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

25/08 - 20:50

Mano pede tempo para escalar Rincón e reforços

Técnico quer esperar Morais, Bebeto e Rincón atingir o nível físico dos demais jogadores para aproveitá-los mais

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Nas últimas semanas, o técnico Mano Menezes ganhou reforços tanto da diretoria, que trouxe Morais do Vasco e o desconhecido atacante Bebeto, como do departamento médico, com a liberação de Diogo Rincón, recuperado de cirurgia.

No entanto, o comandante quer esperar o trio atingir o nível físico dos demais jogadores para aproveitá-lo mais no time.

“Ainda tive poucos dias com o Morais e não deu tempo pra se conhecer todo o seu potencial. Precisamos esperar por sua resposta às orientações e colocá-lo nos jogos, quando tudo é mais verdadeiro e serve de parâmetro para ter conceitos mais definitivos sobre o atleta. Ele está interessado, mas ainda aquém dos outros em termos de preparação. Vai levar um pouco de tempo para corresponder tudo o que se espera dele”, analisou Mano.

Concorrente de Morais para a vaga de Dentinho, contundido, no jogo desta terça-feira, contra o Gama, no Pacaembu, o atacante Bebeto também não está 100% pronto, na visão do comandante alvinegro.

“O Bebeto pode trabalhar com o Herrera normalmente, os dois são jogadores de velocidade, que chegam de trás, e finalizam bem. Mas o tempo de trabalho foi curto e o Bebeto ainda está adaptando. Vamos com calma, como fizemos com os outros”, projetou o técnico.

Mesmo no elenco há mais tempo, Diogo Rincón também não escapará de um período de observação com o treinador. “O que complicou o retorno do Rincón é que ele ganhou um pouco de peso enquanto ficou fora. Precisa de tempo para recuperar a sua condição, de jogar de meia com chegada muito forte. Recentemente deu para ver quando entrou que ainda não está com a mobilidade. Agora é se recuperar para voltar a ter as boas atuações que mostrou na Copa do Brasil”, explicou Mano.

O reforço de Morais e de Bebeto e a volta de Rincón são só algumas mudanças do elenco do Corinthians durante a Série B. O técnico da equipe, porém, nega que esteja usando o torneio como um “laboratório” para achar a melhor formação antes de voltar à elite. “Seria um abuso falarmos de laboratório na competição mais importante do ano. Além disso, as pessoas iriam achar que achamos que já subimos”, encerrou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo