iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

25/08 - 17:43

Capricho nas finalizações pode levar Flamengo à “velha forma”
Equipe tem o mesmo rendimento de gols do 1º turno, mas volume de chutes para fora é três vezes maior do que vão para o gol

Redação iG Esporte e Footstats

RIO DE JANEIRO - Embora três atacantes – Vandinho, Maxi e Obina – tenham encerrado o jejum de gols entre os centroavantes do Flamengo, o problema ofensivo ainda persiste na Gávea. A equipe consegue, variavelmente, criar chances claras, mas peca no momento de marcar, gerando no segundo turno um total de nove chutes certos e 27 para fora, com índice de 25% de acerto.

Contra o Internacional, no Beira Rio, a produção de finalizações do Rubro-Negro nas duas etapas foi de 15 chutes no total – dois certos e 13 errados. No entanto, a inconstância do time é visível sabendo que apenas três chutes foram dados no primeiro tempo.

O atacante Obina, autor do gol de empate, poderia ter dado a vitória ao time caso não desperdiçasse uma chance no final do jogo e não fosse acionado por apenas Juan e Ibson durante todo o segundo tempo.

Veja números de finalizações das últimas três equipes de Caio Jr.:

Estatísticas

Paraná (2006)

Palmeiras (2007)

Flamengo (2008)

Média de chutes:

15,2

14,9

13,1

Aproveitamento:

35%

39%

35%


Leia mais sobre: Flamengo Campeonato Brasileiro

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AE

Herói
Obina marcou o gol de empate contra o Inter, mas números comprovam que o Fla arrisca pouco

Topo