iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

21/08 - 05:59

Luxemburgo evita auto-crítica: “Só o Inter tem culpa na goleada”

Treinador preferiu não comentar falhas dos zagueiros, de Marcos e de Diego Souza

Gazeta Esportiva

PORTO ALEGRE - Quem esperava um Wanderley Luxemburgo revoltado com a atuação de seus jogadores após a goleada por 4 a 1 para o Internacional, se impressionou. Evitando críticas aos seus comandados e sem apontar falhas em seu setor defensivo, o técnico se limitou a elogiar os gaúchos pela vitória.

“O placar foi justo. Saímos bem, tivemos chance de matar o jogo duas vezes, com o Diego e o Kléber. Não fizemos, o Inter cresceu e fez o resultado. Depois que o Inter virou, ficou com todo espaço possível e foi melhor. Foi um placar por merecimento deles”, analisou o treinador, negando-se a reprovar seus zagueiros ou Marcos pelos equívocos na bola aérea principalmente com Índio, autor de dois gols de cabeça.

“Quando se perde o jogo, se acha um monte de culpados. Eu só vi um: o Inter, que jogou bem e virou o placar. Se algúem vê fantasmas, eu não vejo. Não sou Santos Dumont, não vou ficar inventando desculpas. Os jogadores sabiam que o Índio chegava daquele jeito, mas erraram, o que é normal no futebol”, filosofou, seco ao responder quais foram os principais erros palmeirenses. “Os principais acertos da equipe do Inter”, emendou, com um sorriso.

Apesar de aliviar a bronca diante das câmeras e microfones, Luxemburgo sabe que a virada alcançada pelos porto-alegrenses poderia ser evitada pouco após Alex Mineiro ter aberto o placar aos quatro minutos de jogo. Minutos depois, Diego Souza perdeu chance clara chutando em cima de Clemer e Kléber vacilou frente a frente com o goleiro.

“Deu para perceber que tivemos o jogo nas mãos. Com 1 a 0 contra, o Inter estava desequilibrado, tanto que roubamos duas, três bolas da zaga deles. Tínhamos que ter matado o jogo, eles iam ficar desestabilizados totalmente. O goleiro deles já estava até empurrando o nosso jogador. Depois que viraram, controlaram o jogo”, avaliou.

Na tentativa de demonstrar tranqüilidade, o treinador evitou até mesmo a polêmica com Tite, amplamente revoltado com a arbitragem do baiano Jailson Macedo Freitas. “Se o pênalti não existiu e o gol do Inter estava em posição legal, o Tite está correto. Não tenho que discutir o que está claro”, concluiu.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo