iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

21/08 - 14:00

Dunga quer seguir como técnico do Brasil mesmo sem ouro
Treinador da seleção afirmou ainda que não precisa "puxar saco" de ninguém para seguir no comando da equipe

EFE

XANGAI (China) - O técnico Dunga, da seleção brasileira masculina de futebol, disse hoje que está disposto a continuar à frente da equipe mesmo após o fracasso na tentativa de conquistar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim após a derrota de 3 a 0 nas semifinais para a Argentina.

Apesar das críticas da imprensa diante dos maus resultados nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e por não ter conquistado o inédito ouro olímpico para o Brasil, Dunga diz se sentir "muito tranqüilo".

"Estou preparado para continuar. Desde que cheguei aqui vim para fazer o trabalho que estou cumprindo. Espero ficar enquanto tiver saúde", afirmou o treinador.

Para Dunga, a derrota da terça-feira "faz parte do futebol, pois há momentos de alegria e de tristeza e é necessário conviver com os dois".

"No futebol sempre queremos o melhor, ser o número um, o máximo possível, mas o torcedor nunca fica satisfeito. O Brasil foi cinco vezes campeão do mundo, mas como falta este ouro, insiste-se em falar dele. Agora parece que não ganhamos cinco Copas do Mundo, que não se tem uma história", afirmou.

Diante da possibilidade de que a partida de amanhã em Xangai, contra a Bélgica, pela decisão do bronze, seja sua última no comando da seleção, Dunga lembrou que "todos já passaram por esta situação na seleção: quando se perde o treinador é o culpado".

"Aí é possível ver a importância do futebol no Brasil e no mundo: quando se ganha, fala-se pouco. Já quando se perde, então é uma questão nacional", afirmou.

O treinador insistiu ainda que os resultados do Brasil não são tão ruins. "Ganhamos a Copa América em 2007 e nos Jogos Olímpicos não conseguimos o ouro, mas vamos tentar o bronze e dar prosseguimento a nosso trabalho", declarou.

"Não preciso adular ninguém agora, e nunca vou precisar, graças a Deus", acrescentou, para mostrar que aceitava o resultado dos Jogos com naturalidade. "Na derrota ou na vitória tenho a mesma cara, não muda nada", disse o técnico antes de afirmar que "o mais importante é ser transparente".


Leia mais sobre: Seleção brasileira

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Sem ouro olímpico
Dunga entende que é necessário aprender a conviver com as tristezas do futebol

Topo