iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

15/08 - 19:53

Pai quer que Mago fique; “Ninguém mandou ele sair”, diz Luxa

Desejo de Luis Valdivia é de que o jogador fique no Palmeiras e jogue a Libertadores, para depois sair para a Europa

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - A indecisão de Valdívia sobre o acerto com o Al Ain pode ter como motivo a opinião de seu pai. Luis Valdívia Toro revelou publicamente que não quer ver seu filho nos Emirados Árabes Unidos.

Na sua opinião, sem a possibilidade de ir para a Europa, seria melhor o camisa 10 permanecer no Palmeiras e tentar conquistar uma Libertadores.

Ao saber das declarações de Toro, Vanderlei Luxemburgo se irritou. Depois de reprovar recentemente duas atitudes que considerou indisciplina do chileno, o técnico quer evitar comentários de que faz pressão para a venda do ídolo alviverde. E acredita que a divulgação do pensamento do pai do Mago dá chance a estas especulações.

“Não sabia disso, fui pego de surpresa. O pai está com o filho a todo momento, teve a oportunidade de falar com o Valdívia. Se ele falar com o Valdívia e o Valdívia ficar, ótimo, ele está escalado para jogar. É muito simples, não tem problema nenhum. Senão, dá a impressão de que o Palmeiras e o Luxemburgo querem que ele vá embora, e ninguém está mandando ele sair”, comentou Luxa.

Contrariado, o comandante sugeriu a Toro se expressar diretamente ao Palmeiras. “Ele tem a possibilidade de falar com o filho dele a todo momento e pode procurar a diretoria.

Não precisa criar essa área de atrito e parecer que o Palmeiras tem algum interesse. A venda do Valdívia foi um consenso. Eu fui consultado e disse que, se for bom para o jogador e para o clube, tudo bem, arrumo o time como fiz com o Henrique”, esclareceu o treinador.

“Gostaria de entender porque ele falou disso com a imprensa se tem o filho dele ao lado todo momento. Pelo que entendi, ele quer o que todo pai quer, que o Valdívia jogue na Europa, na Inglaterra, Itália, Alemanha, Espanha. Mas tenho certeza que o Valdívia já falou com o pai dele antes de decidir. Qualquer coisa, chama a diretoria e fala que não quer o filho dele vendido”, complementou.

Para dar ênfase ao iminente “sim” que Valdívia dará ao Al Ain, Luxa lembra que a oferta árabe é a melhor que apareceu. “A única proposta que veio foi do Hertha Berlin e ficou aquém do que o Palmeiras queria. Seria ótimo para ele jogar na Europa, desde que surgisse proposta de lá, e não veio nenhuma outra. A que surgiu foi dos Emirados Árabes e é uma grande proposta pessoal. O jogador conversou comigo e com o clube e todos viram que foi muito boa”.

De qualquer maneira, o treinador reforçou seu conselho ao Mago de que “deve aceitar a oportunidade de sua vida”. Para justificar sua opinião, o atual comandante do chileno lembrou que ídolos palmeirenses e outros jogadores brasileiros já seguiram para centros menos badalados e não sumiram.

“Não podemos esquecer que algumas vendas no Brasil foram feitas para o leste europeu, que também não tem a mesma mídia que a Europa. Houve algumas vendas até do Palmeiras para o Japão daquele time fantástico quando passei aqui pela primeira vez. Nem por isso deixaram a mídia. Quando o jogador sabe, joga em qualqer canto”, concluiu, lembrando da ida de Evair, Zinho e César Sampaio para o futebol japonês após a conquista do bicampeonato brasileiro em 1994.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo